U.Porto distingue quatro estudantes com Prémio de Cidadania Ativa

Já são conhecidos os vencedores da 6.ª edição dos Prémios Cidadania Ativa da Universidade do Porto. José Tiago Sousa (Vertente Humanitária ou Solidária), Hernâni Oliveira (Campo do Empreendedorismo), João Paulo Gonçalves (Vertente Pedagógica) e Maria Francisca Mendes (Domínio desportivo e/ou ambiental) são os quatro estudantes que, para a U.Porto, mais se destacaram em atividades extracurriculares de cidadania a longo do último ano, motivo pelo qual verão o seu mérito reconhecido publicamente na Sessão Solene do Dia da Universidade 2019.

O vencedor na Vertente Humanitária ou Solidária é José Tiago Sousa, estudante do Mestrado em Finanças da Faculdade de Economia da U.Porto (FEP) e fundador da associação “Solidarity Soul”, que integra a UP Solidária. No último ano, esteve também em Norcia, Itália, “na primeira missão do European Solidarity Corps a apoiar vítimas de terramotos”, e em Bydgozc, “a apoiar a comunidade de crianças dessa zona periférica do interior da Polónia”. Em dezembro passado, foi reconhecido pela U.Porto como “Voluntário U.Porto 2017/2018”.

O estudante distinguido no Campo do Empreendedorismo é Hernâni Oliveira, estudante que se vem destacando pelo envolvimento em projetos ligados à inovação e empreendedorismo na área da saúde, no âmbito do Laboratório de Criação para a Literacia em Saúde da U.Porto (LACLIS), enquanto doutorando em Media Digitais, na Faculdade de Engenharia da U.Porto (FEUP). Principal dinamizador do The HOPE Project, pelo qual foi distinguido com o como o Astellas C3 Prize no World Cancer Leader’s Summit, e do ÂMAGO, um “projeto de empreendedorismo intergeracional para validação de soluções tecnológicas em rede”, Hernâni é também um dos peritos do Plano Nacional de Literacia em Saúde do Ministério da Saúde e integra comissão organizadora da competição internacional de empreendedorismo dos Young Leaders for Health, com apoio da Organização Mundial de Saúde.

Na Vertente Pedagógica, o vencedor é João Paulo Gonçalves, estudante da Faculdade de Arquitectura da U.Porto (FAUP) e um dos quatro autores do “Arquitetos de família”, um projeto que visa “levar arquitetura” a quem geralmente não pode aceder aos serviços de um arquiteto .De acordo com a candidatura. o “Arquitetos de família” permitiu encontrar “um lugar digno na cidade” para famílias com poucos recursos, ou seja, “criar habitações com qualidade e com rendas controladas”. Esta iniciativa teve ainda como caráter inovador a “ponte criada entre o ensino e a ação social”, através da participação de estudantes finalistas da FAUP no programa Casa Reparada Vida Melhorada, da Junta de Freguesia do Bonfim, no Porto.

A eleita no Domínio desportivo e/ou ambiental é Maria Francisca Mendes, estudante da Licenciatura em Ciências do Desporto da Faculdade de Desporto da U.Porto (FADEUP). Atual  vice-presidente da SUNIporto, a primeira Júnior Empresa de Desporto e Nutrição de Portugal e da Europa, Maria é mentora do Núcleo de Dança da Faculdade de Desporto da U.Porto (FADEUP), que, em 2018, realizou várias ações no seio da Universidade, mas também com a restante comunidade (como na prisão de Custóias, por exemplo). É também membro do Conselho de Acompanhamento dos Estudantes da Licenciatura em Ciências do Desporto. A sua cidadania pugna por “um estilo de vida mais ativo” e pela “integração social” nos mais diversos contextos.

Os quatro vencedores do Prémio de Cidadania Ativa vão ser distinguidos durante a Sessão Solene do Dia da Universidade 2019, agendada para a próxima sexta-feira, dia 22 de março, no edifício da Reitoria da U.Porto.