U.Porto colabora no maior projeto português na área dos media

Entre os produtos que deverão resultar do projeto incluem-se um sistema de realização de TV na cloud e uma plataforma para a disponibilização digital do plano nacional de Cinema às escolas. (Foto: DR)

Até 2020, 24 instituições portuguesas, entre as quais o INESC TEC e as faculdades de Belas Artes (FBAUP), Letras (FLUP) e Engenharia (FEUP) da Universidade do Porto,  vão contar com 9,5 milhões de euros para arrancar com aquele que promete ser o maior projeto português de I&D na área dos media.

CHIC (Cooperative Holistic View on Internet and Content). Assim se chama o projeto que arrancou em outubro e cuja reunião inaugural – envolvendo representantes de todos os parceiros – tem lugar esta terça-feira, 14 de novembro, no INESC TEC, no Porto. O grande objetivo passa por desenvolver uma fileira empresarial nacional do setor, reforçando a presença das entidades nacionais nos mercados internacionais através da disponibilização de novos produtos e sistemas que endereçam o setor dos conteúdos digitais.

“Temos trabalhado há já algum tempo para construir este consórcio em Portugal. Até 2020 queremos desenvolver um ecossistema baseado em formatos abertos e tecnologias interoperáveis que promovam a dinamização da criação de conteúdos nacionais e a sua troca entre os diferentes atores da cadeia de valor”, explica Alexandre Ulisses, coordenador do CHIC e gestor de inovação da MOG.

O CHIC prevê exportar até 2020 os novos produtos que vai desenvolver, tais como, a título de exemplo, sistemas para a transmissão em tempo real de vídeo 4k usando IP na cloud, ou um sistema de realização de TV na cloud ou, ainda, uma plataforma para a disponibilização digital do plano nacional de Cinema às escolas. Os produtos serão comercializados em 77 mercados internacionais, dos quais se destacam o brasileiro, alemão, espanhol, norte-americano, russo e asiático.

“Prevemos ainda que haja um aumento na rede de parceiros atuais das empresas do consórcio em 15%. O projeto pretende também aumentar a capacidade exportadora das empresas nacionais conseguindo que, das vendas do projeto, cerca de 69% correspondam a vendas ao exterior e aumentar o investimento em I&D por parte das empresas participantes no projeto em 20%, atingindo assim os 22 milhões de euros”, refere Artur Pimenta Alves, coordenador científico do projeto e consultor da administração do INESC TEC.

Sob a coordenação da MOG, o projeto conta com vários tipos de parceiros: empresas tomadoras de tecnologia – MOG, Cluster Media.labs, GEMA, vMuse, SisTrade e Youon -, entidades do SCTN – INESC TEC, Universidade de Aveiro, Universidade Católica, Universidade do Porto, Universidade de Trás-os-Montes e Alto-Douro, cinemateca portuguesa, Instituto Superior de Engenharia do Porto, Universidade Aberta e Centro de Computação Gráfica -, utilizadores finais – Jornal de Notícias, OSTV, Porto Canal, Tadinense Artes Gráfica, Altice Labs e GMK produções e dois clusters – TICE e ADDICT.