U.Porto celebra uma década de liderança nas redes sociais

Entre os seguidores da U.Porto nas redes sociais predominam as mulheres e os jovens. (Foto Egídio Santos / U.Porto)

12 de março de 2009. A Universidade do Porto torna-se a primeira universidade portuguesa a “lançar-se” no Facebook e no Twitter… Começava assim uma história de sucesso que, dez anos depois, junta hoje mais de 330 mil seguidores no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no Youtube, confirmando o estatuto da U.Porto como instituição de ensino superior portuguesa com maior presença nas principais redes sociais.

Entre aqueles que, um pouco por todo o mundo, contactam diariamente com a Universidade através destas plataformas, destacam-se os mais de 150 mil seguidores (150.200*) que a U.Porto acumula no Facebook. Para além de reunir as últimas novidades do “mundo U.Porto”, a página oficial da U.Porto na mais popular rede social do mundo constitui-se como um espaço de “diálogo” com a comunidade, incluindo para o efeito conteúdos especialmente direcionados para a interação (“lives”, passatempos, partilha de fotografias, etc.). O último ano fica ainda marcado pela criação dos primeiros grupos oficiais da Universidade, destinados aos seus estudantes internacionais.

Exponencial tem sido também a afirmação no Instagram, a rede social que mais tem crescido em Portugal nos últimos anos e na qual a Universidade foi igualmente a primeira instituição de ensino portuguesa a criar conta oficial, em novembro de 2014. De então para cá, a página já superou a barreira dos 31 mil* seguidores, um terço dos quais foi “conquistado” apenas no último ano. Entre as publicações e os “Instagram Stories”, o Instagram da U.Porto mostra a vida universitária e o dia-a-dia da comunidade académica da Universidade, bem como algumas iniciativas pensadas para os estudantes. Este é também um espaço privilegiado para a partilha de experiências, momentos e/ou dúvidas, refletindo-se na utilização da hashtag oficial #uporto, que contabiliza já mais de 11 mil partilhas de utilizadores.

Para o retrato da “U.Porto 2.0” contribuem ainda os 83.100 seguidores* que acompanham a Universidade em modo “280 caracteres” no Twitter. Ou então os 92.195* seguidores que estão ligados à U.Porto na LinkedIn, a rede social profissional por excelência e uma das que mais cresceram no último ano. Nota ainda para os mais de 5 mil subscritores (quase o dobro do que em 2018) que acompanham os vídeos disponibilizados pela U.Porto no Youtube.

Mais mulheres e muito Brasil

Numa “radiografia” mais pormenorizada ao público que acompanha e interage com a U.Porto nas redes sociais percebe-se que a grande maioria dos seguidores são mulheres (60% no Facebook e 62% no Instagram) e provenientes de uma faixa etária mais jovem (75% têm entre 18 e 34 anos). Relevante é também a sua dispersão geográfica, com especial destaque para o Brasil, que concentra praticamente um quinto dos fãs (30.194) do Facebook e um quarto dos seguidores no Instagram.

Na comparação com as outras universidades portugueses, a U.Porto lidera o “top” das instituições com maior presença no Facebook, seguida à distância pela Universidade de Coimbra, cuja página contabiliza atualmente cerca de 139 mil seguidores. O mesmo acontece no Instagram, onde a U.Porto lidera confortavelmente, superando as universidades de Coimbra (25 mil seguidores), Aveiro (17.200), Lisboa e Minho (ambas com 15.100 seguidores). A U.Porto lidera ainda no Twitter, onde regista um número de seguidores oito vezes superior à instituição de ensino que se segue (Universidade de Aveiro), e no LinkedIn, posicionando-se à frente das universidades de Coimbra (70.500), Minho (69.162) e Lisboa (67.212).

Da responsabilidade do Serviço de Comunicação e Imagem da Reitoria, a presença da U.Porto nas redes sociais constitui, por tudo isto, um importante vetor na estratégia de comunicação e posicionamento online que a instituição vem afirmando na última década. Para esta contribuem também as páginas oficiais das faculdades e outros organismos que operam na órbita da Universidade.

* Dados recolhidos às 10h00 do dia 13 de maio de 2019.