Spin-off da U.Porto ganha concurso de ideias de negócio ambientais

FutureNanoCoatings_300x200

A equipa da Future NanoCoatings na final portuguesa do ClimateLaunchpad.

A Future NanoCoatings, empresa spin-off da Universidade do Porto, ganhou a competição nacional do ClimateLaunchpad e vai agora representar Portugal na final europeia deste concurso de ideias de negócio na área das tecnologias limpas.

A Future NanoCoatings dedica-se à investigação e desenvolvimento, em parceria de com a indústria, de revestimentos baseados em nano materiais, nomeadamente na criação de soluções sustentáveis e não tóxicas para revestir materiais de construção naturais, como a madeira, a cortiça ou a pedra.

Os revestimentos desenvolvidos pela Future NanoCoatings podem conferir a estes materiais propriedades hidrofóbicas, de retardação de chamas ou proteção de exposição aos raios UV, ajudando assim a prolongar a durabilidade daqueles materiais utilizados na construção.

Depois de já ter participado no BIP – Business Ignition Programme, o programa da Universidade do Porto de apoio à criação de modelos de negócio para projetos de base científica, a Future NanoCoatings tem atualmente como foco estratégico o desenvolvimento de materiais baseados em cortiça.

Apesar de esta ter sido uma decisão de cariz económico, também foram tidas em conta as atuais preocupações ambientais. A colheita de cortiça não implica o corte de árvores e os sobreiros sujeitos à colheita de cortiça absorvem quatro vezes mais dióxido de carbono do que os sobreiros não colhidos.

Estas foram algumas das vantagens apontadas ao projeto Future NanoCoatings na ClimateLaunchpad, que se apresenta como a maior competição europeia de ideias de negócio cleantech, decorrendo simultaneamente em 28 países do velho continente. Em cada país é organizada uma competição de projetos nacionais, cujo vencedor é automaticamente selecionado para representar o seu país na final europeia, que se realiza a 4 de setembro de 2015, em Amesterdão.