Spin-off da U.Porto facilita a compra de roupa online

A tecnologia desenvolvida pela ShopAI permite tirar fotografias a roupa e encontrar peças semelhantes online. (Foto: DR)

Cada vez mais pessoas recorrem à Internet para fazer compras. É fácil, é prático, e tudo sem ter de sair de casa. Mas a procura pela peça ideal pode ser demorada, dada a oferta. E se fosse possível, através de uma simples fotografia, encontrar o que queremos online? Foi isso que a ShopAI, uma empresa spin-off da Universidade do Porto, conseguiu.

Tudo começou durante uma brincadeira entre amigos, em que falavam da possibilidade de criar um botão para colocar em sites e aplicações que permitisse aos consumidores tirarem fotografias a peças de roupa de amigos ou que encontrassem em montras e/ou revistas de moda. Mas foi durante o mestrado de Rui Machado  e Hélder Russa na Faculdade de Economia da U.Porto (FEP) que a ideia começou a afigurar-se como uma realidade. Daí até à fundação da empresa foram treinadas “milhares de imagens em diferentes perspetivas e com diferentes técnicas de engenharia”, refere Rui Machado, atual CEO da ShopAI.

O produto, agora final, é um motor de pesquisa visual, que funciona com o mote: “e se pudéssemos tirar uma fotografia diretamente no site de uma marca que gostamos e, com ela, pesquisar produtos visualmente similares dentro do catálogo sem teclar uma única palavra”. O objetivo é simplificar todo o processo até chegar ao produto que o cliente procura, traduzindo-se num aumento da conversão das próprias lojas numa lógica de win-win (para o cliente, que passa menos tempo na busca, e para o vendedor, que consegue vender mais graças à satisfação do cliente e à rapidez do processo).

E quais são as vantagens em relação à concorrência? Além de a aplicação da ShopAIser mais rápida de implementar no sistema do cliente do que outras soluções no mercado, também pode ser personalizada à medida. Isto é: podem ser adicionadas regras de negócio para ajustar o sistema às necessidades de cada marca, como por exemplo “criar uma regra para que apareçam apenas produtos que se encontrem com um preço no intervalo de 10% (por defeito ou excesso) do produto que o utilizador esteja a pesquisar”, explicam os membros da empresa. A aplicação da ShopAI também permite fazer vendas cruzadas e sugestão de produtos semelhantes.

Atualmente incubada no UPTEC, a ShopAI nasceu em março de 2018. Terminada a fase de trabalhar apenas em regime de part-time, pós-laboral e fins de semana, os jovens empresários, reconhecendo o potencial do que haviam criado, deram o passo seguinte e encontraram na Zando África do Sul o primeiro cliente. A marca, que é uma das maiores empresas online de moda do país, estava à procura de um sistema de pesquisa baseado em imagem, pelo que a ligação foi imediata. E os resultados também. A qualidade dos resultados obtidos com a Zando chamou a atenção da Addidas e Reebok da África do Sul, o que, para Rui Machado, é um marco muito importante: “Quando conseguimos provar que a nossa abordagem diminuía a taxa de abandono dos sites e aumentava a probabilidade de acontecer, de facto, uma venda, ficou tudo mais fácil”.

Com esta conquista, a SHOPAI espera assumir uma posição de destaque no mercado das soluções de pesquisa e recomendação de artigos. Estão, atualmente, em crescimento exponencial no mercado africano, mas pretendem focar-se igualmente na Europa onde acreditam não existir “um líder destacado na oferta deste tipo de serviços”. Apesar de manterem o foco na indústria da moda, já tiveram contactos de outras áreas, para os quais têm desenvolvido provas de conceito.