Solução para agricultura urbana vence Pitch Day do UPTEC

UPTEC_Noocity

A Noocity terá direito a incubação em regime cowork no UPTEC. (Foto: UPTEC)

A Noocity, uma cama de cultivo com um sistema de auto-rega integrado, venceu o Pitch Day da 6ª da Escola de Startups do Parque de Ciência e Tecnologia da U.Porto (UPTEC). A startup luso-brasileira oferece uma solução que permite aos cidadãos urbanos cultivar alimentos, de forma sustentável, em plena cidade.

Apresentar as ideias de negócios em 180 segundos era o desafio de 30 empreendedores presentes no Pitch Day do UPTEC, que decorreu no I3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da U.Porto. O vencedor do Pitch Day terá direito a incubação em regime cowork no UPTEC e acesso directo à ronda de investimento da Red Angels, com montantes até 50 mil euros.

O sistema criado pela Noocity, projecto vencedor, garante uma autonomia até 3 semanas, diminui consideravelmente a evaporação, a frequência da rega e permite reter água das chuvas, ajudando a consumir 80% menos água que uma horta convencional e possibilitando quase o dobro da produtividade. Por ser modular, pode ser utilizada individualmente ou em conjunto, permitindo várias configurações de horta e adaptando-se a diferentes tipos de espaço.

No evento foram também atribuídas três menções honrosas nas áreas tecnológica, criativa e bio/mar. Na área tecnológica, o Quant-UX foi o selecionado. Trata-se de um software para desenvolvimento de design de interface gráfica, que se diferencia porque combina design, testes e análise de dados. Na categoria das criativas, o Iguaneye reuniu as preferências. A startup criou um novo conceito de calçado: uma dupla pele protectora que cobre todas as partes do pé, permitindo caminhar confortavelmente em qualquer lugar – como se andasse descalço. Já na área bio/mar o júri selecionou o All in Surf, um sistema de aquisição de dados de navegação aquática aplicada ao Surf que permite medir e avaliar comportamentos físicos e biomecânicos do atleta.

A Vodafone selecionou ainda dois projetos para integrarem o programa Vodafone Power Lab: a Quant-UX e a Zarco, uma app para ligar os turistas a uma rede de guias locais. O Vodafone Power Lab tem como objetivo fomentar a criação de projetos tecnológicos, através de apoio na aceleração, mentoring, workshops e formação, entre outras condições que possibilitem às novas empresas desenvolverem-se.

Foram, ainda, apresentados mais 15 projetos empresariais: uma plataforma de pesquisa de transportes de carga (WALcargo), um software de análise de dados através de câmaras de segurança para retalhistas (arealytic), uma app para compilar fotos de eventos (xphoto), drones para navegação e georreferenciação precisa de dados em explorações agrícolas (eye2map), uma plataforma de notícias para jovens (jornalíssimo), skates em materiais sustentáveis para prática de landsurf (bio boards), lâminas de barbear com design único (tatara razors), uma plataforma de transmissão de vídeos de desporto (str.deo), nanodispositivos que transformam energia mecânica e térmica em eléctrica(InanoE), uma organização que apoia a empregabilidade de jovens universitários em startups (U.project), materiais indústrias aplicados à joalharia (TelmaDa), projetos de bio-engenharia (EasyBio), uma plataforma de comunicação de ciência(Projecto Enzima), uma ferramenta de estratégias transmedia storytelling (MOOH) e luvas inteligentes para aliviar a artrose e frieiras (Smart Gloves).

As candidaturas para a próxima edição da Escola de Startups do UPTEC, programa de mentoring e formação de três meses que visa acelerar ideias de negócio, abrirão em meados de março.