Soja de Portugal vai financiar três projetos no IJUP Empresas

Elisa Keating, na apresentação do programa IJUP Empresas

Elisa Keating, na apresentação do programa IJUP Empresas

Na passada semana a Universidade do Porto Inovação (UPIN) organizou mais duas sessões A2B (Academia to Business), desta vez com destino a três empresas do grupo SOJA de Portugal, localizadas em Ovar e na Trofa. Investigadores provenientes de várias faculdades e centros de investigação da U.Porto foram recebidos por representantes da Sorgal (dedicada à produção de alimentos compostos para animais domésticos e de produção), da Savinor (carne de aves) e da Savinor UTS (valorização de subprodutos animais), aproveitando o contacto mais próximo com a realidade empresarial e de fábrica para conhecer os desafios que o grupo empresarial enfrenta neste momento.

Elisabete de Matos, coordenadora de I&D+i do grupo, diz ser “importantíssimo este estabelecimento de contactos com investigadores” uma vez que a Soja de Portugal privilegia muito a “inovação em rede e a inovação aberta”, disse. É também nesse sentido que surge a associação à iniciativa IJUP Empresas (apresentada, em ambas as visitas, pela coordenadora Elisa Keating), na qual o grupo Soja de Portugal irá financiar este ano três dos projetos a concurso, cada um com orçamento de 4 mil euros, que proponham soluções relacionadas com os desafios industriais e de produto das empresas do grupo.

Ambas as visitas incluíram uma apresentação do grupo empresarial bem como visita às instalações de produção e, acima de tudo, troca de ideias sobre os desafios atuais da Soja de Portugal e o que poderá a Universidade do Porto fazer para os solucionar de maneira o mais sustentável possível. O responsável de comunicação e marketing, Rui Nunes, indicou como principais necessidades as melhorias na qualidade do produto, a sustentabilidade e as sinergias no ciclo de produção. Já o diretor industrial da Sorgal, Vítor Catarino, durante a visita à fábrica de pet food, revelou querer continuar a caminhar no sentido da automatização dos processos de fábrica.

Na visita à Sorgal o presidente do conselho de administração, João Pedro Azevedo revelou ter total abertura para trabalhar com a Universidade do Porto “para desenvolver todo o tipo de projetos, que interessem a ambas as partes uma vez que vemos desse lado [U.Porto] um conhecimento diversificado ”, revelou. Já no pólo da Trofa, o diretor comercial da Savinor UTS, Nuno Medina, chamou a atenção para a inovação estratégica que é o investimento nesta empresa. A Savinor UTS permite integrar o ciclo de produção do grupo empresarial. Consegue-se um ciclo completo visto que ao recolherem subprodutos de carne e de peixe e ao fazerem farinhas de aves, de animais, óleo de peixe, gorduras animais estão a disponibilizar matéria-prima a outras empresas do grupo.

Uma das investigadoras presentes, Beatriz Oliveira (Faculdade de Farmácia) afirma que o seu grupo de investigação também está totalmente disposto a trabalhar uma vez que, na sua opinião, “colaborar com empresas é colaborar com a economia do país, é trabalhar com a comunidade. E é para isso que uma Universidade existe”, disse. Este testemunho poderá ser escutado na íntegra na reportagem elaborada pela TVU (ver abaixo).