Sociedade Espanhola de Química premeia professora da FCUP

Docente e investigadora em Química da FCUP

Maria João Ramos, a professora da FCUP, é a vencedora do Prémio Madinaveitia-Lourenço de 2019.

O Prémio Madinaveitia-Lourenço de 2019, da Real Sociedad Española de Química, foi atribuído a Maria João Ramos, docente do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) e investigadora do REQUIMTE, em “reconhecimento pelo seu extraordinário trabalho de investigação em Química”.

Trata-se de um prémio luso-espanhol instituído pela Real Sociedad Española de Química e pela Sociedade Portuguesa de Química, atribuído anualmente, e em alternância, a químicos portugueses e espanhóis. A escolha do premiado cabe à sociedade que atribui o prémio, tendo a seleção deste ano sido responsabilidade da Real Sociedad Española de Química.

Este galardão tem como principal objetivo reconhecer investigação científica com projeção internacional realizada em Portugal e Espanha, no domínio da Química, em qualquer das suas áreas.

A instituição deste prémio destina-se a recordar dois químicos notáveis: Antonio San Quintín Madinaveitia y Tabuyo (1890-1974) e Agostinho Vicente Lourenço (1822-1893).

A entrega do Prémio Madinaveitia-Lourenço de 2019 e dos restantes Prémios da Real Sociedad Española de Química 2019 terá lugar em data a anunciar.

Sobre Maria João Ramos

Professora catedrática e diretora do programa doutoral em Química da FCUP, Maria João Ramos é licenciada em Química pela Universidade do Porto e doutorada pela Universidade de Glasgow (Escócia) e o Swiss Institute for Nuclear Research. Na Universidade de Oxford (Inglaterra) realizou um pós-doutoramento em Modelação Molecular e foi durante muitos anos diretora associada do National Foundation for Cancer Research Centre for Computational Drug Discovery da Universidade de Oxford.

Responsável pelo grupo de investigação em Química Teórica e Bioquímica Computacional da FCUP, tem uma vasta reputação internacional nas áreas da catálise enzimática, mutagénese computacional, docking molecular e descoberta de drogas, sendo autora de mais de 250 artigos científicos em revistas internacionais.

Vice-Reitora da U.Porto para a Investigação entre 2014 e 2018, foi agraciada, em 2014, com o título de Doutora Honoris Causa pela Universidade de Estocolmo.