Sobrinho Simões distinguido pela Sociedade Espanhola de Anatomia patológica

Em 2015, Sobrinho Simões foi considerado o patologista mais influente do mundo pela revista científica The Pathologist. (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

O patologista Manuel Sobrinho Simões, fundador e diretor do Ipatimup, membro da Comissão Diretiva do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) e professor Emérito da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), foi distinguido esta sexta-feira com o Prémio Pío del Río Hortega. Atribuído pela Sociedade Espanhola de Anatomia Patológica, este galardão visa distinguir patologistas que se tenham destacado durante o seu percurso profissional, no ensino, na investigação ou no apoio a esta sociedade profissional.

Autor de cerca de 350 artigos científicos originais, revisões e relatos de casos publicados em revistas internacionais, Sobrinho SImões foi presidente da Sociedade Europeia de Patologia e formou a divisão de Moscovo da Escola Europeia de Patologia. Organizou também os dois primeiros congressos intercontinentais de Patologia com a Sociedade Latino-Americana de Patologia (2000 e 2004) e foi Presidente do Colégio Europeu de Patologia. É membro dos conselhos científicos da Escola Europeia de Patologia, do Curso Europeu de Patologia Celular e da Associação Europeia de Prevenção de Cancro e integra o Comité Redatorial da Associação de Diretores de Patologia Cirúrgica dos E.U.A. (ADASP).

Sobrinho Simões é também sócio honorário da Academia Real de Ciências Médicas da Catalunha e Ilhas Baleares (Barcelona, 1988), Sociedade Brasileira de Cancerologia (Rio de Janeiro, 1997), Sociedade Espanhola de Anatomia Patológica (Madrid, 1998), Sociedade Médica de Córdoba (Argentina, 2001) e Sociedades Portuguesas de Endocrinologia (2004) e de Cirurgia (2005). A partir de agora, com mais este prémio, é também membro honorário da Sociedade Espanhola de Anatomia Patológica.

Em paralelo com o percurso científico, Sobrinho Simões cimentou a sua carreira de docente na FMUP, instituição onde se formou e na qual foi Professor Catedrático de Anatomia Patológica até à sua jubilação, em 2017. Lecionou também na Faculdade de Medicina da Universidade de Zhengzhou e em cerca de 30 universidades e institutos de oncologia europeus, norte-americanos, latino-americanos e asiáticos. Foi igualmente Chefe de Serviço no Centro Hospitalar de S. João, no Porto.

Considerado o patologista mais influente do mundo pela revista científica The Pathologist, em 2015, Sobrinho Simões conquistou vários outros prémios nacionais e internacionais ao longo da sua carreira: Prémio Bordalo – Ciência (1996), Prémio Seiva Trupe – Ciência (2002), o Prémio Pessoa (2002) e o Grande Prémio Ciência Viva Montepio (2016). Foi igualmente agraciado com o título de Comandante e Grande Oficial da Ordem Real da Noruega (2003 e 2010), com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (2004) e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada (2017). Em 2012, Manuel Sobrinho Simões recebeu a medalha de serviços distintos do Ministério da Saúde grau ouro e, em 2017, o Prémio de Mérito da Competência em Gestão dos Serviços de Saúde atribuído pela Ordem dos Médicos. Em 2018, foi distinguido com um Prémio Gago em Política Científica Europeia.