Saúde das populações migrantes em debate na Universidade do Porto

Seminario_300x200

Académicos e profissionais de saúde vão à Reitoria da U.Porto debater as melhores estratégias de proteção da saúde das populações migrantes. (Foto: DR)

Numa altura em que a questão dos refugiados continua a marcar a ordem do dia, o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) e a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS Norte) promovem no próximo dia 22 de abril, no Salão Nobre da Reitoria da U.Porto, um Seminário sobre “Migrações e Saúde”, no qual se pretende colocar académicos e profissionais de saúde em debate sobre as melhores estratégias de proteção da saúde das populações migrantes.

Os migrantes são uma população particularmente suscetível a riscos de saúde, ainda mais quando os motivos de migração são a violação de direitos humanos, a instabilidade política, guerra ou violência. Na chegada ao país de acolhimento estão ainda sujeitos a desigualdades no acesso ao serviço de saúde devido à falta de informação e às barreiras culturais, linguísticas e legais.

A debater esta temática vão estar nomes como Santino Severoni, Coordenador de Saúde Pública e Migração na Organização Mundial de Saúde (OMS), que irá proferir uma palestra intitulada“Migration and Health: European framework and future challenges”.

Da mesa redonda farão ainda parte intervenções sobre “Fatores condicionantes do fenómeno migratório”, por Rita Sá Machado (ACES Porto Ocidental – Unidade de Saúde Pública), “Doenças transmissíveis em população migrante”, por Paulo Andrade (Centro Hospitalar São João/ISPUP), e “Intervenção Nutricional e Crises Migratórias”, por Maria João Gregório (Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da U.Porto). O programa conta ainda com um momento para discussão.

Em 2007, a Presidência Portuguesa do Conselho de Europa intitulava-se “União de solidariedade entre iguais” e pôs em debate a migração global. Em 2008, a Assembleia Mundial de Saúde da OMS aprovou uma resolução sobre a saúde das migrantes. E, em 2010 foi a vez da Presidência Espanhola do Conselho da Europa, que também debateu este tema. Pretende-se agora, com este seminário, prolongar o debate nacional e internacional sobre os fatores, problemas e desafios associados à saúde dos migrantes.

O  Seminário “Migrações e Saúde” tem início às 9h30. A entrada é livre.