Santander Universidades já trouxe mais de 650 estudantes à U.Porto

Estudantes Brasileiros U.Porto

O Brasil é o país que mais estudantes “exporta” para a U.Porto ao abrigo do Programa Santander Universidades.

Entre 2007 e 2015, o Programa Santander Universidades proporcionou a 651 estudantes iberoamericanos a oportunidade de realizar um período de mobilidade na Universidade do Porto. Em sentido contrário, 270 estudantes da Universidade do Porto rumaram a universidades ibero-americanas para realizar um período de mobilidade.

Em oito anos de existência do programa, 921  estudantes dos dois lados do Atlântico beneficiaram assim da ligação que a Universidade do Porto vem mantendo com cerc ade uma centena de instituições de ensino superior ibero-americanas – especialmente do Brasil e da Argentina, mas também da Espanha, Chile ou México – ao abrigo do Santander Universidades.

Só em 2014/2015, a Universidade do Porto acolheu cerca de 1781 estudantes de mobilidade. De entre estes, 913 são oriundos de 175 universidades de sete países Lusófonos e Iberoamericanos, sendo que, 206 realizaram o seu período de estudos ao abrigo dos Programas Santander Universidades.

No sentido inverso, 1147 estudantes da U.Porto realizaram um período de mobilidade no exterior. De entre estes, 114 realizaram a sua mobilidade em 15 universidades de 3 países Lusófonos e Ibero-Americanos sendo que, 39 efetuaram-no com o apoio de uma bolsa dos Programas Santander Universidades.

Todos estes números serão celebrados no próximo da 11 de junho, durante a cerimónia de entrega de Certificados (Santander Universidades) aos estudantes internacionais que frequentaram a U.Porto ao abrigo daquele programa. A sessão realiza-se no Salão Nobre do Edifício da Reitoria (Praça Gomes Teixeira) e tem início às 17h30.

Já esta segunda-feira, a partir das 15h30, a U.Porto vai entregar os certificados aos 142 estudantes que concluem este ano o seu período de estudos ao abrigo dos programas Erasmus Mundus Ação 2 e Programa de Licenciaturas Internacionais (PLI).

Os projetos financiados pelo Programa Erasmus Mundus Ação 2 da Comissão Europeia têm como objetivo melhorar a qualidade do Ensino Superior e promover o diálogo e compreensão entre pessoas e culturas através da mobilidade de estudantes, investigadores e pessoal. Já o Programa de Licenciaturas Internacionais é financiado pelo Governo do Brasil, através da CAPES, e tem como objetivo a melhoria do ensino e da qualidade na formação inicial de professores de ensino básico no Brasil.