Richard Zimler fala do processo criativo da literatura na FEUP

Romances de Richard Zimler são bestsellers em vários países. (Foto: DR)

Como surgem as histórias na cabeça de um escritor? E como é que as personagens ganham vida? De onde vem a inspiração e que relação tem com o trabalho de um escritor? Na próxima quinta-feira, dia 14 de novembro, a partir das 12h45Richard Zimler responde a estas questões na Biblioteca da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

Numa conversa com Alexandra Pinto (Departamento de Engenharia Química  | FEUP), o escritor norte americano, radicado em Portugal desde o início dos anos 90, vai desvendar os segredos do seu processo criativo, e explorar o que difere e aproxima este processo da escrita científica. A sessão realiza-se no piso 1 da Biblioteca FEUP e é aberta a toda a comunidade.

Esta é mais um edição do Clube de Leitura, organismo criado em 2010, por iniciativa da  Biblioteca da FEUP, para desempenhar um papel central no apoio ao ensino e investigação desenvolvido e incentivar aos hábitos de leitura da comunidade académica. O programa nasceu com o intuito de ampliar as bases literárias dos estudantes, docentes e colaboradores da Faculdade de Engenharia e, ao mesmo tempo, fomentar o debate sobre autores e obras literárias de inegável valor histórico.

Mais informações através do e-mail agora@fe.up.pt e no site Clube de Leitura .

Sobre Richard Zimler

Nascido em Nova Iorque em 1956, Richard zimler fez um bacharelato em religião comparada na Duke University (1977) e um mestrado em jornalismo na Stanford University (1982). Em 1990, foi viver para o Porto, onde foi professor de jornalismo durante 16 anos, primeiro na Escola Superior de Jornalismo e depois na Universidade do Porto. Nos últimos 16 anos, publicou nove romances, uma coletânea de contos e dois livros infantis, que depressa entraram nas listas de bestsellers de vários países (Portugal, Brasil, EUA, Inglaterra, Itália, etc…).

Zimler já ganhou diversos prémios, incluindo o National Endowment of the Arts Fellowship in Fiction (EUA) em 1994 e o Prémio Herodotus (EUA) para o melhor romance histórico (“O Último Cabalista de Lisboa”) de 1998. Em 2009, venceu o  prémio literário Alberto Benveniste, pela obra “Goa ou o Guardião da Aurora” e viu outro livro seu – Os “Anagramas de Varsóvia” – ser  nomeado o Melhor Livro de 2009 pela revista LER. No mesmo ano, escreve o guião para “O Espelho Lento”, uma curta-metragem realizada pela realizadora sueca-portuguesa Solveig Nordlund, distinguida com o prémio de melhor filme dramático no Festival de Curtas-Metragens de Nova Iorque.

A 4 de outubro deste ano, chegou às livrarias “A Sentinela”, o primeiro romance policial de Richard Zimler, editado pela Porto Editora.