Rede de universidades do Sudoeste Europeu alarga-se ao Centro de Portugal e Astúrias

crusoe_uporto

A Universidade do Porto acolheu, no passado mês de novembro, a reunião do Comité Executivo da CRUSOE, o qual preside.

A cidade de Braga acolhe esta terça-feira, 17 de março, IV Reunião Plenária da Conferência de Reitores das Universidades do Sudoeste da Europa (CRUSOE), um organismo cujo Comité Executivo é presidido pela Universidade do Porto e que se prepara para expandir ao Centro de Portugal e à região autónoma das Astúrias por via da adesão das universidades portuguesas de Aveiro, Beira Interior e Coimbra e a espanhola Universidade de Oviedo.

A ratificação da adesão dos quatro novos membros é de resto o principal ponto dos trabalhos da reunião que terá lugar na Universidade do Minho. Os Reitores reunidos em Braga deverão também aprovar novos procedimentos internos para a elaboração de projetos comuns e um novo regime de atuação dos órgãos de coordenação da rede e os seus representantes legais.

Os quatro novos membros da CRUSOE já fazem parte do grupo de trabalho sobre “Educação e Investigação” que está a participar na elaboração do plano estratégico para a Macrorregião do Sudoeste Europeu (RESOE) que está a ser negociado com a Comissão Europeia e o Comité das Regiões.

Criada em dezembro de 2011, a CRUSOE é constituída por 18 universidades públicas e privadas do Norte de Portugal, da Galiza e de Castela e Leão, assim como dos institutos politécnicos do Norte de Portugal. Presidido pela Universidade do Porto, o Comité Executivo da CRUSOE – que reuniu em novembro passado, na U.Porto –  integra ainda as universidades de Vigo e de Salamanca, que assumem as duas vice-presidências, e as universidades do Minho, de Leão, de Santiago de Compostela, a Universidade Europeia Miguel de Cervantes e o Instituto Politécnico de Bragança.

A CRUSOE apadrinhou já a submissão de nove projetos internacionais a programas de financiamento competitivo (2 ainda em fase de aprovação) que contam com a participação de pelo menos dois membros da rede e que conseguiram já financiamento de valor superior a 5,5 milhões de euros.