Projeto Teatral da FEUP leva ao palco “Romeu e Julieta”

A iniciativa é promovida pelo Comissariado Cultural da FEUP (Foto: DR)

A história dispensa apresentações, ou não fosse uma das mais conhecidas obras de William Shakespeare, inspiradora de histórias de amor e desamor desde finais do século XVI. Agora, mais de quatro séculos depois da sua primeira apresentação em palco, a tragédia de “Romeu&Julieta” inspira o próximo espetáculo do Projeto Teatral da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) 2018, que estará em cena nos dias 14 e 15 de março, às 21h30, no Auditório da FEUP.

Com início marcado para as 21h30 no Auditório da FEUP, o espetáculo parte da famosa obra de Shakespeare passada na bela cidade de “Verona, onde duas famílias, iguais em nobreza, impulsionadas por antigos rancores, fazem com que entre si se desencadeiem novas discórdias, em que o sangue dos cidadãos… tinge as mãos dos cidadãos!”.

A ideia de encenar Romeu&Julieta surgiu precisamente em palco, no final do espetáculo do Projeto Teatral da FEUP de 2017, no qual vinte atores contaram “as suas histórias”. E porque não (re)contar uma “história a sério”, como a de Romeu e Julieta? A verdade é que, por mais adaptações que haja desta tragédia amorosa, as formas de a interpretar nunca se esgotam.  Com encenação de Cátia Pinheiro e de José Nunes, o espetáculo vai reunir em palco diversos membros da comunidade FEUP.

O acesso é gratuito (sujeito à lotação da sala) mediante levantamento antecipado de bilhete. Os bilhetes estão disponíveis cinco dias úteis antes da data do espetáculo no Infodesk/FEUP (segunda a sexta, das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h30), ou na bilheteira do Auditório da FEUP nos dias dos espetáculos (abertura da bilheteira uma hora antes do espetáculo).

Mais informações através do e-mail ccultur@fe.up.pt.

Sobre os encenadores:

Cátia Pinheiro, formada pela Academia Contemporânea do Espetáculo, trabalhou como atriz com vários encenadores e estruturas como António Fonseca, Nuno Cardoso, Nuno Carinhas, Diogo Infante, Ana Luísa Guimarães, Nuno M. Cardoso, Mundo Perfeito, Cão Solteiro, entre outros. Co-criou os espetáculos “Receita para me Ouvires” (2006), “A Festa” (2008), “Geopolítica do Caos” (2009), “WTF?” (2010), “Made in China” (2012), “Wanted” (2015), “Uma Gaivota” (2016), “Geocide” (2017), “The End” (2017) e os projetos transdisciplinares “The Walk” (2013) e “Display” (2014). Em 2011, foi bolseira do Centro Nacional de Cultura. Em 2009, criou a Estrutura, juntamente com José Nunes. No âmbito do Projeto Teatral FEUP, dirigiu o espetáculo “404 – Título Não Encontrado”.

José Nunes, formado em Teatro (ESMAE) e Programação e Gestão Cultural (U. Lusófona), colaborou com os seguintes encenadores e estruturas: Teatro Praga, Pedro Zegre Penim, Mundo Perfeito, Rogério Nuno Costa, João Garcia Miguel, Fernando Moreira, Cristina Carvalhal, Skite/Sweet and Tender, entre outros. Co-criou os seguintes espetáculos: “Vertigem” (2007), “Botox” (2009), “Geopolítica do Caos” (2009), “WTF?” (2010), “Wanted” (2015), “Uma Gaivota” (2016), “Geocide” (2017), “The End” (2017). Fundou e co-dirigiu a companhia de teatro Primeiro Andar (2005-2009). Em 2009, criou a Estrutura, juntamente com Cátia Pinheiro, com quem dirigiu também  o espetáculo “404 – Título Não Encontrado” no âmbito do Projeto Teatral FEUP.