Professor da U.Porto traz música de Yann Tiersen à Reitoria

A uma vida profissional dedicada aos computadores, Pedro Ribeiro junta a paixão pelo piano. (Foto: DR)

Começou a carreira no início da década de 90, mas foi pelos filmes “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” e “Goodbye Lenine!” que  Yann Tiersen ficou mundialmente conhecido. Em jeito de homenagem ao músico e compositor francês, a Reitoria da Universidade do Porto acolhe, no próximo dia 12 de dezembro, quarta-feira, às 18h30, o recital de piano “Um fim de tarde com a música de Yann Tiersen”, protagonizado por Pedro Ribeiro, professor da Faculdade de Ciências da U.Porto (FCUP).

Pedro Ribeiro é professor no departamento de Ciência de Computadores da Faculdade de Ciências da U.Porto (FCUP) e investigador do CRACS (INESC-TEC). A esta área junta a paixão pela música e, mais recentemente, pelo piano. É um autodidata e inspira-se em compositores como Ludovico Einaudi, Yiruma, Hans Simmer, Philip Glass, entre outros. Considera-se um amador e “novato na arte das artes performativas”, mas para Pedro Ribeiro, “tocar piano é algo que me dá muito prazer e uma excelente maneira de exprimir emoções, contar histórias e simplesmente relaxar, fazer a minha mente viajar para um mundo envolvido apenas pela música”, acrescenta.

O recital vai percorrer algumas das principais obras de Yann Tiersen. (Foto: DR)

A ajudá-lo neste recital, o docente terá o piano acústico Bösendorfer, instalado na sala da Biblioteca do Fundo Antigo da Reitoria da U.Porto. Foi precisamente nesse edifício que se formou, na altura em que a FCUP estava instalada no edifício histórico e, curiosamente, foi nesta sala que defendeu, anos mais tarde, o seu doutoramento.

“Um fim de tarde com a música de Yann Tiersen” vai percorrer algumas das principais obras do compositor francês. Entre elas contam-se Rue Des Cascades (1996) ou Le Phare (1998), até álbuns mais recentes como Eusa (2016) ou All (2019), do qual ainda só se conhece uma música, sem esquecer bandas sonoras marcantes de filmes como Amélie (2001), Adeus Lenine! (2003) ou Tabarly (2008).

A entrada é livre.