Professor da U.Porto distinguido na área da Cirurgia da Obesidade

Gil Faria

Gil Faria recebeu o prémio durante o XX Congresso da IFSO 2015, onde esteve acompanhado pelo presidente da Sociedade Portuguesa de Cirurgia da Obesidade e Doenças Metabólicas, Rui Ribeiro. (Foto: SPCO)

O cirurgião Gil Faria, antigo estudante da Faculdade de Medicina (FMUP) e atual professor do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da Universidade do Porto, tornou-se recentemente o primeiro português a ser distinguido com uma bolsa anual da Federação Internacional de Cirurgia da Obesidade e Doenças Metabólicas (IFSO), como reconhecimento da atividade científica que vem protagonizado nos últimos anos na área da cirurgia bariátrica e metabólica.

A bolsa da IFSO constitui uma espécie de “prémio carreira” para cirurgiões com menos de 40 anos e,  no caso de Gil Faria, premeia sobretudo os trabalhos investigação que desenvolveu entre 2010 e 2013, no âmbito da base da tese de doutoramento apresentada à FMUP em maio de 2014. “O objetivo do estudo era encontrar fatores de prognóstico da cirurgia de obesidade e entender a melhoria metabólica ocorrida após Bypass Gástrico”, começa por apresentar.

As principais conclusões indicam que “a resistência à insulina (que é fundamental no desenvolvimento da diabetes) melhora precocemente após o Bypass Gástrico e que o Síndrome Metabólico (conjunto de doenças e fatores de risco cardiovasculares associados à obesidade) é revertido em ~90% dos doentes um ano após a cirurgia”. O trabalho do investigador permitiu ainda “calcular uma fórmula que permite prever a reversão deste Síndrome Metabólico e entender que um dos principais fatores de prognóstico relativamente à perda de peso após a cirurgia (bypass gástrico) é a quantidade de açucar em circulação (glicemia), em jejum”.

“No conjunto, estes dados permitem concluir que a doença metabólica melhora rapidamente após a cirurgia, que a melhoria é tão mais provável e significativa quanto mais cedo for efetuada a cirurgia mas que, mesmo em doentes com obesidade de longa data e diversos factores de risco, a cirurgia tem um efeito benéfico a nível de resolução de doenças metabólicas”, nota Gil Faria.

No valor de 2500 dolares, a bolsa atribuída ao alumnus e docente da U.Porto garantiu-lhe desde logo a a presença no último congresso mundial da IFSO, que decorreu em Viena, Áustria, de 26 a 29 de agosto.” O restante, tem sido e será aplicado em formação pessoal, a nível de investigação clínica e cirurgia metabólica”

Com um percurso académico inteiramente ligado à FMUP, Gil Faria é licenciado em Medicina (2013), mestre em Medicina e Oncologia Molecular (2009) e doutorado em Metabolismo (2014). Durante este período, foi presidente da Associação de Estudantes (de 2000 a 2002) e presidente da Associação Nacional de Estudantes de Medicina (2003). Em 2015, concluiu um Master in Public Health pela Universidade de Harvard.

Enquanto docente da U.Porto, começou por ser Assistente Convidado a FMUP entre 2006 e 2012, fase que coincidiu com a sua passagem pelo Hospital de São João, onde completou o internato de Cirurgia Geral de 2005 a 2012. Em junho de 2015 passou a assumir funções como Professor Auxiliar Convidado do ICBAS para a disciplina de Cirurgia 2, atividade que exerce em paralelo com a de assistente Hospitalar no Serviço de Cirurgia Geral do Centro Hospitalar do Porto (Hospital de Santo António) e investigador do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias da Saúde, sediado na FMUP.