Prémios Incentivo’17: Maria Trindade

“Na FAUP, gosto da relação próxima que tenho com colegas e professores, pois dedicamos muitas horas semanais à faculdade (…) o que estimula a partilha de conhecimento”.

Maria Trindade faz um balanço bastante positivo do seu primeiro ano na Faculdade de Arquitetura. Por lá, conheceu quem partilhe com ela o gosto pela arquitetura, pessoas “com as quais aprendi muito”. Natural de Coimbra, a estudante de 19 anos foi um dos estudantes da U.Porto distinguidos na edição 2017 do Prémio Incentivo, que foi entregue no Dia da Universidade, graças à média de 16,9 valores com que terminou o primeiro ano no Mestrado Integrado em Arquitetura.

– Uma razão para ter escolhido a U.Porto?

Por ser uma universidade reconhecida não só em Portugal como também no estrangeiro, e que forma excelentes profissionais.

– O balanço deste primeiro ano na Universidade?

Foi um ano de mudança e de adaptação, muito feliz e enriquecedor. Conheci pessoas que partilham comigo o mesmo gosto pela arquitetura, com as quais aprendi muito, e sei que me vão ajudar a crescer como estudante e como pessoa. O curso correspondeu totalmente às minhas expectativas e é incrível pensar em tudo o que aprendi e experienciei no último ano. É muito gratificante estar no curso que me faz sentir realizada e no qual quero seguir profissionalmente e alcançar bons resultados.

– De que mais gosta na Universidade do Porto?

Do clima de dedicação e esforço por manter a excelência, que qualquer estudante poderá reconhecer. Na FAUP, gosto da relação próxima que tenho com colegas e professores, pois dedicamos muitas horas semanais à faculdade, passamos muito tempo juntos e trabalhamos muito em grupo, o que estimula a partilha de conhecimento. A enorme dedicação dos professores e estudantes contribui para que, todos os dias, a vontade de fazer mais e melhor seja maior.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

Talvez da distância entre os pólos universitários. Seria importante existir uma maior articulação entre as diferentes faculdades, promovendo projetos que envolvessem diferentes áreas do conhecimento, por exemplo.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Penso que passa por cada estudante assumir essa responsabilidade, pois também somos nós que construímos a excelência da Universidade do Porto, fazemos parte dela. Mas, tal com disse anteriormente, será sempre uma mais valia a partilha e o contacto entre as diferentes áreas, através de atividades e projetos. Isso enriqueceria a nossa formação, tanto a nível profissional como a nível pessoal.

– Um desejo para a Universidade do Porto, no seu aniversário?

Desejo que continue a celebrar o seu aniversário cada vez com mais sucesso, apostando sempre na boa formação de profissionais. Desejo também que continue a ser reconhecida em Portugal e no Mundo e a subir nos rankings, pois tem todas as potencialidades para isso.

– Qual a importância do Prémio Incentivo para o futuro?

Este prémio é a prova que o trabalho compensa sempre, é o reconhecimento de todo o esforço que foi desenvolvido ao longo do ano. Motiva-me para continuar a trabalhar cada vez mais e a atingir os meus objetivos. É muito bom ver o meu trabalho ser reconhecido e valorizado. Para além disso, irá motivar, certamente, futuros estudantes da U.Porto a dedicarem-se e a trabalharem, seja qual for o curso, mantendo assim o nível de excelência.