Prémios Incentivo’14: Gil Teixeira

Gil Teixeira tem 20 anos e é natural de Vila Nova de Gaia. Chegado à U.Porto em 2012/2013, completou o primeiro ano da Licenciatura em Línguas, Literaturas e Culturas – variante de Português e Línguas Clássicas da Faculdade de Letras da U.Porto (FLUP) com média de 18.40 valores. É por isso é um dos 19 estudantes da U.Porto distinguidos com a edição 2014 do Prémio Incentivo, entregues no Dia da Universidade.

Gil Teixeira, estudante da FLUP, deseja que a Universidade do Porto "continue a defesa dos sonhos do seu corpo de estudantes que constitui uma mais-valia evidente para a sociedade civil."

– Um balanço deste primeiro ano na U.Porto?

A entrada na Universidade do Porto constituiu a concretização de um objetivo há muito traçado. O primeiro ano não podia apresentar mais dificuldades, mas com um árduo trabalho, facilitado em larga medida pelo fascínio profundo pelas Letras, todas foram ultrapassadas. Esse caminho de descoberta do mundo universitário, vivido com colegas de distintiva qualidade humana (ou simplesmente com o silêncio), foi duro, mas marcante. Tal não seria possível sem o apoio da minha família, dos meus amigos singulares, dos professores especiais das escolas que frequentei, sobretudo da Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves.

– De que mais gosta na Universidade do Porto?

Destaco, na FLUP que me serve de modelo, o desenvolvimento operado na componente pedagógica, a exigência, a Biblioteca e a divulgação do conhecimento singular que apenas as Letras oferecem. A FLUP oferece a oportunidade de fazer um percurso académico, num ambiente multicultural, acompanhado por vozes incontornáveis da História. Sendo indiscutível a importância das Letras na sociedade, a FLUP fascina por ser um espaço que é unido, em larga medida, por pessoas que apreciam as Palavras, as Ideias, a Cultura e a Arte.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

A Faculdade reúne um vasto número de formas de agir e essa variedade enriquece quem nela se insere. Salvaguardando a existência de virtude em muitos membros da comunidade académica, os únicos momentos desagradáveis vividos na Universidade são aqueles nos quais se constata a desarticulação injustificada entre o ter estatuto e o ser pessoa, a inexistência da preocupação com o outro e o desencanto pelo conhecimento, inaceitáveis numa instituição tão digna como uma Universidade. Contudo, anima a consciência de que a escuridão, quando existe, é sempre uma experiência didática, na medida em que nos ensina a revalorizar a luz.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

A Universidade do Porto podia aprofundar o relacionamento entre as diferentes faculdades. Todos os estudantes beneficiariam com o intercâmbio de conhecimentos. Apesar de ainda se sentirem alguns preconceitos que estão completamente obsoletos, a Universidade deveria esforçar-se na anulação das fronteiras invisíveis entre áreas do saber. Para tal, é preciso existir dedicação na superação da dificuldade intemporal de mudar mentalidades.

 – Um desejo para a Universidade do Porto, no seu aniversário?

Espero que a Universidade do Porto continue a defesa dos sonhos do seu corpo de estudantes que constitui uma mais-valia evidente para a sociedade civil. Se espero que a Universidade seja a via de concretização da minha aspiração de, um dia, ser professor, só posso querer o mesmo para todos aqueles que, todos os dias, preenchem os corredores desta Universidade.

 Qual a importância do Prémio Incentivo para o futuro?

O reconhecimento do mérito é nuclear na sociedade desde a Cultura Clássica, base na qual assenta a nossa civilização, e encontra materialidade no Prémio Incentivo, dinâmica notável da Universidade do Porto, que adquire especial relevo no contexto histórico em que nos inscrevemos. Reconhece-se a existência de estudantes que procuram a excelência, em todos os ramos do conhecimento, o que leva a crer que o prémio tenha algum préstimo futuro, avaliando-o segundo o critério da utilidade tão penoso para as Letras. No entanto, é fundamental ter consciência da brevidade, que além de nos conduzir ao conceito tão verdadeiro de fragilidade, nos encoraja na procura da singularidade.

 

NOTA: ATÉ 21 DE ABRIL, CONHEÇAM NO NOTICIAS.UP.PT TODOS OS VENCEDORES DOSPRÉMIOS INCENTIVO 2014 ATRAVÉS DOS TESTEMUNHOS QUE PUBLICAMOS DIARIAMENTE AQUI. PODEM TAMBÉM CLICAR NA TAG (ETIQUETA) “PRÉMIOS INCENTIVO”.

  • Diana Vieira

    É com um certo orgulho que te dou os meus parabéns 🙂
    Não esperava outra coisa de ti, pois sempre correste atrás do que querias, do teu sonho, com determinação e coragem. É de salientar que tens um coração enorme e ,ao longo do teu percurso, sempre ajudaste quem pudeste. A excelência e a humildade devem andar sempre juntas e no teu caso são gémeas.
    Um grande beijinho .
    Diana Vieira.