Prémio Nobel da Química fala aos estudantes da U.Porto

Yes MEeting 2013 vai reunir cerca de 250 participantes (sobretudo estudantes de Medicina) na FMUP.

Ada Yonath, investigadora galardoada com o Prémio Nobel da Química em 2009 devido a um trabalho que permitiu compreender a criação de resistência aos antibióticos, vai estar presente na 8.ª edição do Young European Scientist Meeting (YES Meeting), evento que arranca esta sexta-feira, 20 de setembro, na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP).

O trabalho de mais de 20 anos da investigadora israelita que mereceu a distinção da academia sueca centrou-se nos mecanismos de biossíntese de proteínas, através da cristalografia de ribossomas (uma máquina celular complexa que permite a tradução do código genético em proteínas). A partir dos resultados desses estudos, Yonath demonstrou de que forma atuam mais de vinte antibióticos que têm o ribossoma como alvo, apresentou alguns esclarecimentos para explicar o porquê da resistência de algumas bactérias, decifrou a base da seletividade dos antibióticos e mostrou como esta é importante para o desenvolvimento de medicamentos eficazes.

A intervenção desta cientista terá lugar no domingo (22 de setembro), às 13h00, no Auditório do Centro de Investigação Médica da FMUP (entrada pela Rua Dr. Plácido Costa, frente à Faculdade de Desporto).

Mas a investigadora israelita não é o único nome de relevo no painel de oradores convidados do YES Meeting. Hélder Maiato (Universidade do Porto) e David Tannahill (Universidade de Cambridge) também estão entre os investigadores mais aguardados pelos cerca de 250 participantes que estarão na FMUP.

Recorde-se que Hélder Maiato, líder do grupo “Chromosome Instability & Dynamics” do Instituto de Biologia Molecular e Celular da U.Porto (IBMC), conseguiu que células cancerosas se suicidassem através do controlo de uma única reação química, abrindo portas para novas terapias contra certos tipos de cancro.

Já os trabalhos de David Tannahill, professor na Universidade de Cambridge, visam compreender os mecanismos subjacentes ao desenvolvimento embrionário.

Estas intervenções estão marcadas para esta sexta-feira (20 de setembro), integrando a Sessão de Abertura, com início às 9h30, no Auditório do Centro de Investigação Médica da FMUP (entrada pela Rua Dr. Plácido Costa, frente à Faculdade de Desporto).

A par das sessões com investigadores internacionais, serão organizados cerca de 15 workshops que prometem fazer com que os jovens cientistas vistam a bata branca e “metam mãos à obra”. Para além do habitual workshop “Is Dr. House a surgeon?” – que fez sucesso em edições anteriores – serão organizados workshops sobre suporte básico de vida, laparoscopia, intubação endotraqueal, emergências toxicológicas, gestão de tempo, entre outros assuntos de grande interesse para os jovens cientistas. Os workshops decorrem no sábado, dia 21, a partir das 15h45, nas instalações da FMUP/Hospital São João (entrada pela Circunvalação).

Os participantes terão também a oportunidade de apresentar os trabalhos científicos que desenvolvem nas suas universidades, nas áreas de Fisiologia & Imunologia, Neurociências, Oncologia & Biologia Molecular, Medicina Interna e Cirurgia, sujeitando-os à avaliação dos investigadores séniores. Dentro de cada área haverá um prémio para o melhor poster, melhor apresentação oral e melhor apresentação na sessão plenária.

Criado em 2006, o YES surpreendeu a comunidade académica nacional e internacional ao reunir mais de 300 estudantes de 20 nacionalidades diferentes. Este ano, o evento conta com o alto patrocínio do Presidente da República.

Mais informações em http://yesmeeting.org/.