Prémio i3S-Hovione Capital distingue inovação na área de dispositivos médicos

O projeto «NeuroQ», do INESC-TEC, foi o grande vencedor do Prémio de Inovação em Saúde i3S-Hovione Capital. (Foto: i3S)

O projeto «NeuroQ», do INESC-TEC, foi o grande vencedor do Prémio de Inovação em Saúde i3S-Hovione Capital, uma iniciativa conjunta do i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto e da Hovione Capital, que visa distinguir ideias inovadoras na área da saúde.

Liderado pelos investigadores João Paulo Cunha e Catarina Maia, o «NeuroQ» consiste num dispositivo wearable para avaliação da rigidez do pulso como apoio a procedimentos neurocirúrgicos de Deep Brain Stimulation. Para além do primeiro prémio da competição, o projeto conquistou também um prémio da «Aescuvest», num valor total de 52.500 euros.

Já o «HECOLCAP», proposto por investigadores do i3S, conquistou o segundo lugar do i3S-Hovione Capital (com outro prémio da Aescuvest), tendo sido o vencedor de mais dois galardões: o prémio BfK – Born from Knowledge com o troféu “Árvore do Conhecimento”, atribuído pela Agência Nacional de Inovação/Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e ainda o prémio da empresa «Patentree», totalizando 27.500 euros.

O«HECOLCAP» foi desenvolvido pelos investigadores Susana Sousa e Fernando Jorge Monteiro e propõe-se a tratar de forma mais eficaz e eficiente, infeções ósseas crónicas, regenerando o osso ao mesmo tempo que controlam a infeção. O dispositivo pretende reduzir o nível de dor, aumentar a qualidade de vida dos pacientes e permitir a redução de custos, já que o objetivo é diminuir o número de intervenções cirúrgicas no tratamento desta doença para apenas uma.

O «HECOLCAP», proposto por investigadores do i3S, conquistou o segundo lugar do i3S-Hovione Capital e mais dois prémios

O projeto «NBiON», proposto por Daniela Pereira e Rita Rodrigues, da Universidade do Minho, foi o vencedor do prémio atribuído pela empresa SRS Advogados, no valor de cinco mil euros. As investigadoras propõem-se usar magnetolipossomas multifunctionais para entrega de fármacos no tratamento de cancro.

O Prémio de Inovação em Saúde i3S/Hovione Capital tem como objetivo principal promover novos dispositivos médicos, sistemas de diagnóstico e tecnologias de monitorização do estado de saúde através da criação de start-ups. Promovido pelo i3S e pela Hovione Capital, este galardão configura uma iniciativa singular por juntar um instituto de investigação e uma empresa de capital de risco – entidades que normalmente participam em fases muito diferentes do processo de inovação -, com o objetivo comum de acelerar a criação de novos produtos de base científica e de novas empresas start-up na área da saúde.

Com esta colaboração espera-se encurtar o caminho entre a obtenção de conhecimento e a chegada ao mercado de inovações que tragam benefícios para o sistema de saúde e para os doentes. Para além do prémio final, os projetos finalistas recebem prémios adicionais atribuídos por entidades parceiras do Prémio que intervêm no sistema de inovação do setor da saúde, casos da Aescuvest, Patentree, SRS Advogados e a Agência Nacional de Inovação (ANI), que atribuiu a distinção Born from Knowledge (BfK) ao melhor projeto «nascido do conhecimento».

O i3S tem investido fortemente na mobilização de conhecimento gerado através da sua atividade core de investigação para a esfera das empresas, com o objetivo de valorizar e potenciar o contributo que o conhecimento gerado pode ter para a sociedade. Este prémio serve o propósito de dinamizar e dar reconhecimento à inovação em saúde a nível nacional e internacional.