Premiado projeto do i3S que visa melhorar terapias contra linfomas

Para Nuno Rodrigues dos Santos, este prémio pode «abrir caminho para um novo alvo terapêutico contra linfomas».

O investigador Nuno Rodrigues dos Santos, do grupo «Genetic Dynamics of Cancer Cells» do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S), é um dos seis vencedores da edição deste ano do Programa Gilead GÉNESE na área da Ciência.

O projeto distinguido, denominado «IMUNOLINF: A proteína PSGL1 como um novo alvo imunoterapêutico contra linfomas», visa precisamente «aumentar a resposta imunitária anti-tumoral e, ao mesmo tempo, bloquear a disseminação das células de linfoma».

A imunoterapia suprime os pontos de controlo do sistema imune, como por exemplo a proteína PD-1, e tem revolucionado o tratamento de alguns tipos de cancro, no entanto, explica Nuno Rodrigues dos Santos, com exceção dos linfomas de Hodgkin refratários, este tipo de abordagem não tem tido grande sucesso para a maioria dos linfomas».

Neste projeto, adianta o investigador, «pretendemos verificar se a supressão de outra proteína inibidora da resposta imunitária, a PSGL-1, resulta numa maior reatividade das células imunitárias (linfócitos T) contra linfomas. Como a presença da proteína PSGL-1 em células de linfoma pode ter um papel na progressão da doença, pretendemos verificar se a supressão desta proteína pode aumentar a resposta imunitária e travar a propagação das células cancerígenas».

Para Nuno Rodrigues dos Santos, que recebeu 36.400 euros para, durante dois anos, desenvolver este projeto de investigação, ser um dos vencedores do Programa Gilead GÉNESE na área da Ciência significa «ver reconhecida a pertinência de uma ideia científica que, ao ser investigada, pode abrir caminho para um novo alvo terapêutico contra linfomas. Sem o financiamento atribuído, não seria possível levar a cabo este projeto».

A seleção dos finalistas, realizada a partir de 32 candidaturas, foi da responsabilidade de duas comissões independentes de avaliação, que selecionaram seis projetos de natureza científica e quatro de iniciativa comunitária, pelo seu potencial contributo para a otimização da prática clínica, da melhoria da qualidade de vida dos doentes e dos resultados em saúde.

O Programa Gilead GÉNESE foi criado em 2013 com a ambição de incentivar a investigação, a produção e a partilha de conhecimento científico a nível nacional, e de viabilizar iniciativas que conduzam à implementação de boas práticas no acompanhamento dos doentes.