Porto4Ageing quer melhorar cumprimento dos planos de medicação pelos idosos

Projeto Skills4Adherence arrancou com primeira reunião do consórcio na reitoria da Universidade Médica de Lodz (Polónia).

A não adesão pela população idosa aos planos de medicação prescritos pelos profissionais de saúde é considerada como um dos mais importantes problemas de saúde pública nos países desenvolvidos.

Para tentar contrariar esta realidade, o Porto4Ageing – o Centro de Excelência em Envelhecimento Ativo e Saudável coordenado e promovido pela Universidade e a Câmara Municipal do Porto – vai participar num projeto europeu que visa proporcionar aos estudantes e aos profissionais da área da Saúde um programa de formação que melhore a forma como os profissionais gerem a adesão à terapêutica, assim como a polimedicação, nos idosos.

Coordenado pela Universidade Médica de Lodz (Polónia) e tendo como parceiros o Instituto ICS Maugeri (Itália) e a U.Porto, o projeto Skills4Adherence tem como propósito final a criação de uma ferramenta pedagógica digital que será disponibilizada a todos os estudantes e profissionais da área da saúde.

Uma ferramenta que tem por objetivo aumentar a capacidade dos profissionais de saúde para lidarem com as questões da não adesão e da polimedicação, o que poderá ter um impacto importante na qualidade de vida dos idosos, assim como nos resultados em saúde e nos custos associados com os cuidados de saúde.

Nos países desenvolvidos a não adesão aos tratamentos em doentes crónicos varia entre 30% a 50%, sendo esta percentagem ainda maior nos países em desenvolvimento. Este grau de não adesão resulta em que um número elevado de doentes não obtenha os benefícios dos tratamentos, o que tem consequências tanto em termos de qualidade de vida, como de resultados em saúde.

Por outro lado, o não cumprimento dos planos de tratamento está relacionado com o aumento dos custos associados aos cuidados de saúde, ao ponto de que é considerado que aumentar a adesão aos tratamentos pode ser mais eficaz em termos de resultados em saúde do que o desenvolvimento de novos fármacos.

Neste contexto, iniciativas que promovam a adesão aos planos de medicação têm um impacto significativo na qualidade de vida da população, nos resultados em saúde, assim como nos custos associados aos cuidados de saúde.

Financiado pelo programa ERASMUS+, o projeto Skills4Adherence arrancou no passado dia 27 de outubro, com a realização da primeira reunião oficial na Reitoria da Universidade Médica de Lodz. Em Portugal, a implementação do projeto está a ser coordenada por Elísio Costa, docente da Faculdade de Farmácia da U.Porto, um dos coordenadores do grupo de ação A1 (Adesão à Terapêutica) da Parceria Europeia para o Envelhecimento e coordenador do Porto4Ageing.