Porto “acelera” na área da inovação em Saúde

A conferência WARP é a primeira do seu género em Portugal a centrar-se na inovação e empreendedorismo para o setor biomédico. (Foto: DR)

Trata-se do primeiro evento agregador de aceleradoras de inovação na área da saúde em Portugal e vai ter lugar no próximo dia 11 de dezembro, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto . Denominado WARP: WORLDWIDE ACELLERATOR RALLY at PORTO, o encontro insere-se na convocatória aberta pelo ScaleUp Porto (estratégia da Câmara Municipal do Porto para a inovação e empreendedorismo) e será promovido pelo Programa RESOLVE e o i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto.

De acordo com o programa agora anunciado, o evento incluirá sessões sobre a valorização de novas ideias e como catapultar empresas ainda em estado embrionário, a exploração de vias de financiamento para apoiar programas de aceleração, bem como a discussão de vias para promover trabalho em rede entre aceleradoras. O evento inclui também uma exibição de tecnologias do setor alvo junto de potenciais empresas e investidores, com vista a promover a sua introdução no mercado.

Na sessão de abertura estará presente a Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo. A Secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann, presidirá à sessão de encerramento.

A conferência WARP é a primeira do seu género em Portugal a centrar-se na inovação e empreendedorismo para o sector biomédico. A área das Ciências da Vida e da Saúde é a área que possui maior número de investigadores doutorados, contudo, como afirma João Cortez, um dos promotores do evento, «é necessário consolidar também o tecido empresarial neste setor, e a promoção de novas ideias e novas empresas é o caminho mais promissor para atingir esse objetivo».  Em Portugal há algumas empresas do secor biomédico instaladas, mas para que se assista ao desenvolvimento de um verdadeiro ecossistema gerador de emprego e dinamizador de economia é necessário que as ideias geradas em laboratório se convertam em produtos e em novas iniciativas empresariais. «É aqui que o papel das aceleradoras, de que é exemplo o programa RESOLVE do i3S, se revela importante», afirma João Cortez.

A ideia de organizar a WARP é trazer até Portugal um momento de partilha de experiências sobre a aceleração da inovação na área da saúde, que a organização espera ter um efeito demonstrador e multiplicador. Para Margarida Rossi, também da organização, o «objetivo principal é iniciar um movimento cooperador e agregador, facilitando boas práticas e colaboração, e diminuir eventuais duplicações de atividades entre as aceleradoras; é uma oportunidade para conhecermos os intervenientes nacionais, e estabelecer parcerias internacionais».

Para o evento estão convidados um painel internacional alargado de potenciais tomadores, licenciadores e recetores de tecnologia biomédica e investidores na área biomédica. «Por essa razão a WARP incluirá, paralelamente, uma exposição internacional de tecnologia biomédica com o objetivo de promover dispositivos, serviços e outras tecnologias disponíveis, oferecendo assim oportunidades de transferência dessas tecnologias para as potenciais empresas nacionais e internacionais que se esperam no evento», como explica Hugo Prazeres, membro da organização da WARP.

A iniciativa vem dar corpo à promoção do Porto como hub de inovação na área biomédica, em linha com as prioridades de especialização inteligente da região, atraindo para a cidade emprego altamente qualificado. Para Filipe Araújo, Vice-presidente e Vereador para a Inovação e Ambiente da Câmara Municipal do Porto, «Portugal, e em particular o Porto, tem excelentes condições de contexto para acolher eventos internacionais e possui uma tradição de investigação na área biomédica cuja inovação é importante explorar internacionalmente».

Em Portugal existe um conjunto de Programas de aceleração já identificados, alguns dos quais ligados à U.Porto. Entre eles estão o CoHitec, o Business Ignition Programme da UPorto Inovação, Building Global Innovators, ASA (ANJE), Healthcare City, Start-up Nano, Startup Braga, Startup Lisboa, Fábrica de Startups, Escola de Start-ups do UPTEC, Beta-i, Acredita Portugal, FASTStart, entre outros.