Plano Estratégico define prioridades de ação da U.Porto até 2020

reitoria3

O Plano Estratégico define as linhas de desenvolvimento da U.Porto para o quinquénio 2016-2020.

O Plano Estratégico da Universidade do Porto 2016-2020 já se encontra finalizado e disponível para consulta de toda a comunidade académica no site da U.Porto.

Após um exaustivo processo de preparação, discussão e aprovação, o documento elaborado pela Equipa Reitoral para servir de base ao desenvolvimento da Universidade do Porto durante o próximo quinquénio reflete também os contributos recebidos da parte de membros da comunidade académica, de grupos representativos dos vários interesses e sensibilidades da Universidade e dos órgãos superiores de governo da U.Porto – o Conselho Geral e o Conselho de Curadores.

Trata-se, por isso, de um esforço colaborativo entre toda a comunidade académica, que definiu como Missão da Universidade do Porto “a criação de conhecimento científico, cultural e artístico, a formação superior fortemente ancorada na investigação, a valorização social e económica do conhecimento e a participação ativa no progresso das comunidades em que se insere”.

Para dar corpo a esta missão, o documento (re)afirma as três áreas estratégicas de atuação da Universidade do Porto – Educação e Formação, Investigação e Terceira Missão das Universidades – e define os objetivos estratégicos de cada uma área durante o período 2016-2020. Objetivos que podem ser resumidos nos seguintes desígnios: “melhorar continuamente a qualidade nos vários níveis da formação da U.Porto”, “afirmar a U.Porto como uma universidade de investigação de nível internacional” e “assumir o compromisso de abertura com a sociedade, assegurando, através da transferência de conhecimento, uma contribuição eficaz e eficiente para a concretização de objetivos de interesse público, integrando uma dimensão económica e outra social e cultural”.

Se é certo que estes são os pilares de desenvolvimento da Universidade do Porto, não deixa de ser verdade que este só poderão prosperar se forem complementadas com uma série de políticas transversais fundamentais para o desenvolvimento harmonioso da comunidade U.Porto, nomeadamente as políticas de dimensão social, cultural e desportiva, de governação, de preservação do património, de recursos humanos e de sustentabilidade financeira.

Mas em todas estas áreas de atuação estratégicas e políticas transversais, a intervenção da Universidade do Porto durante os próximos anos deverá guiar-se por sete princípios orientadores também identificados neste Plano Estratégico: consolidação dos padrões de qualidade; reforço da internacionalização; potenciamento da multidisciplinaridade; promoção do desenvolvimento integral da pessoa e da sociedade; cooperação local, regional, nacional e internacional; reforço da postura de abertura e intervenção; racionalização, eficiência e sustentabilidade.

Desta forma, pretende-se dar corpo àquilo que é definido como a Visão da Universidade do Porto: “A U.Porto será uma universidade de investigação sustentável e transformadora, com influência e reconhecimento crescentes a nível regional, nacional e internacional, capaz de proporcionar aos seus estudantes uma experiência educativa potenciadora das suas capacidades, de promover o desenvolvimento integral de toda a comunidade académica, e de colocar o seu património material e imaterial ao serviço do desenvolvimento científico, cultural e socioeconómico”.