Planetário do Porto é palco de debate sobre vida no Universo

NoticiasUP_habitabilidade-01Entre 22 e 27 de março, o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) – organismo resultante da fusão entre o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa, organiza a conferência internacional “Habitability in the Universe: From the Early Earth to Exoplanets”. A conferência faz parte da ação COST Life Origins (Origens da Vida), uma ação europeia transdisciplinar para investigar as origens e evolução da vida na Terra e noutros planetas, que reúne 150 investigadores de 30 países, oriundos de áreas como a astrofísica, geologia, biologia, paleontologia, engenharia, filosofia ou história da ciência.

A Life Origins tenta responder a três questões fundamentais, que intrigam tanto investigadores como o público em geral: Como, quando e de que forma a vida surgiu e evoluiu na Terra? Quais as condições necessárias ao aparecimento da vida? Existe vida noutros locais do Universo, e se sim, como poderá ser detetada e identificada?

Já esta terça-feira, dia 24 de março, estas questões serão também a base do debate público “Habitabilidade no Universo”, coorganizado pelo IA, Planetário do Porto – Centro Ciência Viva e pelo Departamento de Física e Astronomia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (DFA/FCUP).

A partir das 21h30, a cúpula do Planetário do Porto, onde recentemente foi instalado um novo sistema de projeção digital fulldome, recebe assim um painel de convidados onde se destacam os nomes de Jorge Paiva (professor e responsável do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra), Zita Martins (professora do Imperial College) e Nuno Cardoso Santos (professor e investigador do IA e do DFA/FCUP).