Veronica Orvalho

Veronica Orvalho mostrou, desde cedo, uma capacidade ímpar de combinar o lado técnico com o lado artístico. Nascida na Argentina, é filha de pai português e é licenciada em Engenharia de Software pela Universidade de Belgrano, em Buenos Aires. Fez o Mestrado em Desenvolvimento de Videojogos na Universitat Pompeu Fabra, em Barcelona e é doutorada em Ciências da Computação, pela Universidade da Catalunha. Acaba de apresentar ao mercado, em conjunto com a sua equipa, a Didimo, uma tecnologia pioneira no mundo que permite criar avatares, em breves minutos, a partir de uma fotografia tirada com o telemóvel. Este projeto já lhe valeu o primeiro lugar no concurso iUP25k, o concurso de Ideias de negócio da Universidade do Porto.

Docente do Departamento de Ciência de Computadores da Faculdade de Ciências da U.Porto, Veronica Orvalho conta com uma alargada experiência na indústria da computação gráfica. Não é por isso de estranhar que tenha focado o seu trabalho de investigadora em “facial ridding”, um sistema que tem como objetivo tornar a expressão facial, no cinema de animação, mais realista.

Veronica aspira poder ajudar toda a gente a ter acesso à educação, já que acredita que é possível fazer a diferença, com cidadãos criativos e pensadores livres. O dia-a-dia da investigadora e docente da U.Porto é passado entre os corredores da Faculdade de Ciências e a alegria dos seus três filhos.

Naturalidade? Argentina.

Idade? 40 anos.

– De que mais gosta na Universidade do Porto?

A flexibilidade e possibilidade de inovar na sala de aula.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

Burocracia, que retira tempo à investigação.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Incentivar e flexibilizar a colaboração docente entre as distintas faculdades: afinal somos todos da mesma Universidade!

– Como prefere passar os tempos livres?

Junto aos meus três amores, num lugar relaxado, ao ar livre, a preparar o meu prato favorito e com um copo de Esporão Reserva na mão.

– Um livro preferido?

Watchmen, de Alan Moore.

– Um disco/músico preferido?

“Oktubre,” de Patricio Rey y Sus Redonditos de Ricota.

– Um prato preferido?

“Asado” Argentino.

– Um filme preferido?

The Incredibles, da Pixar (Brad Bird).

– Uma viagem de sonho?

O lugar mais pacífico do mundo: os refúgios de montanha em Bariloche, na Patagónia Argentina.

– Um objetivo de vida?

Que algum dia, não muito distante, uma criança possa ensinar outra criança em qualquer parte do mundo. 

– Uma inspiração? (pessoa, livro, situação…)

A minha madrinha, Raquel Chiappini. 

– O projeto da sua vida…

Ter uma família feliz e viver em harmonia.

– Uma ideia para tornar a U.Porto na mais inovadora em Portugal?

“Give first” – criar um sistema de mentores aberto a toda a sociedade portuguesa.