Sofia Santos

Sofia Santos é estudante do último ano do mestrado integrado em Arquitetura da Faculdade de Arquitetura da U.Porto (FAUP) e foi recentemente distinguida com o “Prémio Secil Universidades” pelo projeto “Espaço Cultural. Centro de Conhecimento” – um equipamento cultural “localizado” em frente à FAUP, que cumpre a sua função cultural e social relacionando-se com os edifícios do polo III da U.Porto.  Um “equipamento cultural que encontra a sua lógica formal na função do edifício e na paisagem em que se inscreve”, refere a ata de atribuição do prémio, referindo também outros dos méritos do projeto, como a utilização dos “planos de cobertura para vencer a diferença de cotas”, num edifício “implantado numa topografia complexa”, permitindo que o seu atravessamento tenha uma utilização lúdica e contemplativa do rio Douro.

No ano letivo anterior, uma experiência de mobilidade internacional levou-a ao outro lado do Atlântico, para frequentar a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo, ao abrigo de um programa de intercâmbio; ainda no Brasil, colaborou ainda com a ONG brasileira “Um teto para meu país”, na construção de habitações sociais.

Aos 24 anos, Sofia Santos elege os islandeses Sigur Rós como banda sonora para trabalhar e o País do Sol Nascente como destino de sonho para uma viagem.

Sofia Santos é finalista do Mestrado em Arquitetura e venceu, recentemente, o Prémio Secil Universidades Arquitetura

Naturalidade

Porto

Idade

24 anos

De que mais gosta na Universidade do Porto?

Gosto principalmente da dinâmica com os estudantes estrangeiros e de toda a estrutura acolhedora da Universidade do Porto para os receber. Não é por acaso que é a instituição Portuguesa mais procurada pelos estudantes estrangeiros. Acho importante essa dedicação da U.P. aos programas de intercâmbio com outras Universidades, o que lhe garante grande prestígio a nível internacional.

De que menos gosta na Universidade do Porto?

Diria que é o facto de a Universidade estar repartida pela cidade, em diferentes polos. Na minha opinião a concentração de todas as Faculdades numa mesma zona da cidade estimularia uma maior ligação interdisciplinar, não só entre estudantes das várias Faculdades, mas principalmente entre as instituições. Mas não posso contestar a localização da minha Faculdade na cidade, dada a vista privilegiada que tem sobre o rio Douro.

Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Continuar a acompanhar a evolução e a desenvolver projetos que promovam a criatividade e o empreendedorismo.

Como prefere passar os tempos livres?

Divertir-me com os amigos, aproveitar os eventos da cidade, cinema, concertos…

Um livro preferido?

Um dos preferidos é o “O Rapaz de Bronze” de Sophia de Mello Breyner, pois foi um livro que marcou a minha infância.

Um disco/músico preferido?

Um preferido para me concentrar a trabalhar é o álbum “Takk” de Sigur Rós

Um prato preferido?

Francesinha.

Um filme preferido?

“Gato Preto, Gato Branco” de Emir Kusturica.

Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?

Tive a oportunidade de fazer uma grande viagem pela América Latina de mochila às costas. Dessa viagem ficou um fascínio ainda maior pela descoberta de sítios diferentes. Desde então a lista de viagens que gostaria de fazer aumentou, mas a principal acho que será “perder-me” pelo Japão.

Um objetivo de vida?

Só um?! Ser feliz, e para isso ter sucesso a trabalhar no que gosto e ter por perto quem mais gosto.

Uma inspiração? (pessoa, livro, situação…)

Normalmente são os mais pequenos detalhes de imagens ou sensações que retenho de alguns espaços e que posteriormente me apercebo que, de forma inconsciente, serviram de inspiração para algumas ideias.

O que significa, enquanto estudante da FAUP, vencer o Prémio Secil Universidades?

Ver este meu trabalho académico reconhecido é um grande estímulo e motivação para continuar a dedicar-me ao que neste momento mais gosto de fazer: desenvolver projetos de arquitetura.

Que impacto poderá ter este prémio na sua vida profissional?

Apesar de ter o desejo que crie oportunidades para novos desafios, não sei se o prémio vai ter impacto diretamente no meu futuro profissional. Terá a sua influência no sentido em que é um grande incentivo para me dedicar ainda mais nos próximos desafios.