Sara Miranda

Sara Miranda foi uma dos cerca de 30 estudantes da U.Porto que beneficiaram de bolsas Santander Universidades em 2012/2013.

Quando em agosto de 2012, partiu para o Brasil para estudar na Universidade Federal do Rio de Janeiro,  Sara Miranda levava na bagagem o desejo de experimentar uma nova cultura e de abrir novos horizontes profissionais. Quase um ano depois, é isso e muito mais que ilustra o sucesso da experiência desta finalista do Mestrado Integrado de Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), uma dos cerca de 30 estudantes portugueses e estrangeiros da U.Porto que beneficiaram de bolsas de mobilidade na América do Sul no âmbito do Programa Santander Universidades.

Para Sara Miranda, o primeiro contacto com o Santander Universidades surgiu através do Gabinete de Relações Internacionais da FMUP. A “motivação pessoal para incursar num programa de mobilidade”, o sonho de conhecer a América do Sul e “a procura de eventuais saídas profissionais futuras” fizeram o resto de uma história que se prolongou entre o verão de 2012 e fevereiro de 2013, culminando com um balanço “mais do que positivo”: “As dificuldades do dia a dia num país novo (desde a inúmera burocracia, aos problemas com alojamento, às diferenças culturais, entre outros) não foram mais do que oportunidades para crescer. Ganhei muita prática clínica, maior maturidade e independência, amigos para a vida e uma enorme bagagem cultural”, destaca a estudante.

A frequentar o 6º ano da FMUP, onde entrou em 2007 após passagens pelo Colégio Nossa Senhora de Lourdes e pelo Colégio Nossa Senhora do Rosário – onde completou o ensino básico e o ensino secundário, respetivamente -, Sara Miranda conta no currículo com outra experiência internacional, vivida durante um Intercâmbio Clínico no IFMSA, República Checa, em julho de 2011. Um ano antes, em agosto de 2000, participou num Estágio clínico (CEMEFs) no Centro Hospitalar do Porto (Hospital de Santo António).

Naturalidade?

Vila Nova de Gaia.

Idade?

23 anos.

 – De que mais gosta na Universidade do Porto?

Do  investimento que faz nos estudantes, da promoção e reconhecimento nacional e internacional a que aspira, instigando à excelência.

 – De que menos gosta na Universidade do Porto?

Talvez não seja algo exclusivo à Universidade do Porto, mas a falta de apoio na realização das teses de mestrado, meio “caídas do céu” no final de um Mestrado Integrado que de mestrado só tem a tese em si. Falta o resto da preparação.


– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Mais e melhores bibliotecas. Mais instalações desportivas para uso dos estudantes.

– Como prefere passar os tempos livres?

O importante é que seja na companhia dos amigos e família – cinema, leitura, praia/esplanada, um simples lanche em casa…

– Um livro preferido?

“Crime e Castigo” (Dostoievski), “Valete de Copas e Dama de Espadas” (Joanne Harris).


– Um músico / disco preferido?

Jamie Cullum/ “Twentysomething” (de Jamie Cullum)

– Um prato preferido?

Tantos….sobretudo típicos portugueses. bacalhau de todas as maneiras, arroz de pato,… e Sushi.

– Um filme preferido?

“The Black Swan”, todos os de Almodóvar,…

– Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?

Brasil/América do Sul, parcialmente realizada. Por realizar elegeria o Sudeste asiático.

 – Um objetivo de vida?

Mesmo num país que parece ter perdido o dom de sonhar, um dia sentir que realizei os meus sonhos pessoais e profissionais. Talvez seja pedir muito, a realização em ambas as áreas, mas se não tivermos ambições ousadas não progredimos.

 – Uma inspiração? (pessoa, livro, situação…)

Os meus pais – inspiram-me a ser eu mesma enquanto aspiro a ser melhor, a ser sensata sem nunca deixar de ansiar por mais. O equilíbrio portanto.

 – Uma ideia para promover a ciência portuguesa além-fronteiras?

Organizar mais congressos científicos com pessoas de renome (nacionais e internacionais) em Portugal, não nos falta qualidade mas talvez visibilidade.