Paula Silva

O que motiva um professor de Histologia a ter um blogue sobre ciência e vinho? “Acredite, a sua pergunta é a minha pergunta!”, adverte Paula Cristina da Silva, docente no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da Universidade do Porto e autora do “Science & Wine”, o espaço virtual onde esta transmontana de gema dá largas a “um sonho antigo de trabalhar na área do vinho” , que começou na infância nos tempos em que fazia as vindimas no Douro para ganhar dinheiro para as férias”.

Natural de Vila Real, Paula Cristina Paulo Videira da Silva é licenciada em Engenharia Zootécnica pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), instituição onde começou a trabalhar como docente da unidade curricular de Bioquímica. Posteriormente, em 2009, doutorou-se em Ciências Biomédicas no ICBAS, onde é atualmente professora auxiliar do Laboratório de Histologia e Embriologia, e onde também leciona as unidades curriculares de Histologia e Embriologia (Humana e Comparada). Apaixonada pela área da publicação e divulgação da pesquisa científica e da bibliometria, foi diretora da biblioteca ICBAS/FFUP entre 2012 e 2016. Apresenta ainda no seu CV vários artigos originais publicados em revistas indexadas no Science Citation Index (SCI),a  participação em alguns projetos I&DT e numerosos trabalhos apresentados em congressos nacionais e internacionais.

O “Science & Wine” “nasceu” durante a participação de Paula Silva na conferência “Ciência & Vinho – do terroir para o copo”, promovida pela U.Porto.

E foi precisamente numa conferência sobre “Ciência & Vinho – do terroir para o copo”, que Paula decidiu, em 2017, avançar com a criação do “Science & Wine”. Seria, contudo, preciso esperar até janeiro de 2018 para assistir ao nascimento daquele que a autora apresenta como um  “espaço livre”, onde são abordados alguns dos tópicos mais importantes ligados à vinha e ao vinho. Para além dos artigos publicados, o blogue reúne ainda um conjunto de ferramentas para que todos possam ter acesso à informação científica disponível naquelas áreas, bem como informações sobre revistas científicas, conferências, workshops e artigos científicos na área do vinho. O resultado é um blog “flexível” e “em permanente construção” dirigido a todas as pessoas que trabalham e/ou gostem de vinho, sejam elas investigadores, agricultores, provadores de vinho, produtores de vinhos, designers, pessoas interessados ​​nos efeitos do vinho sobre saúde e doenças, ou simplesmente aqueles que apreciam vinho e uma história bem contada. Por outro lado, “a opinião dos leitores é muito importante e as pessoas são encorajadas, em diferentes contextos, a dar a sua opinião”, explica Paula Silva.

Alimentar o blogue veio “rechear” ainda mais um dia-a-dia preenchido pelo ensino e a investigação no ICBAS e ainda por uma família de cinco para gerir. A família é de resto “o mais importante” na vida de Paula Silva, sem esquecer a “paixão pelo ensino”, que a faz sentir-se realizada ao partilhar o seu conhecimento junto dos estudantes. Acresce que, como sempre viveu cercada por pessoas associadas ao vinho e sempre quis fazer algo nesse campo, decidiu fazer dessa a sua de área de investigação. Para tal, estudou, participou em palestras, conferências, workshops e começou a fazer trabalhos de laboratório, chegando assim ao estudo que vem desenvolvendo sobre o efeito do consumo moderado de vinho em doenças crónicas.

Enquanto docente do ICBAS, Paula é ainda responsável por um dos Projetos de Inovação Pedagógica da U.Porto 2018, iniciativa que, pelo segundo ano consecutivo,  distinguiu as melhores propostas de inovação pedagógica criadas pelos professores da Universidade . Em causa está o “Cluedo Histológico – um livro digital que é também um jogo”, um projeto inovador que tem como objetivo facilitar o ensino dos conceitos teóricos e práticos de histologia. Tudo isto através de uma plataforma que mistura os conceitos de livro digital e de jogo digital, recorrendo para tal a imagens, filmes, desenhos, jogos e questionários, e acessível em qualquer hora, em qualquer lugar e em todos os dispositivos eletrónicos. Espera-se desta maneira entusiasmar os estudantes para o estudo da histologia e perceber a sua importância no diagnóstico e tratamento das mais diversas doenças.

Percebe-se assim, a razão pela qual Paula Silva ganhou, em 2016 e 2017, o Prémio de melhor docente da licenciatura em Bioquímica e da licenciatura em Ciências do Meio Aquático atribuído pelos estudantes do ICBAS, o que lhe dá motivação para querer fazer mais e melhor.

Naturalidade? Vila Real (Freguesia de São Pedro).

Idade? 45 anos.

– De que mais gosta na Universidade do Porto?

Dos estudantes e da multidisciplinariedade.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

O conservadorismo institucional. A não valorização da excelência e o esforço dedicado ao ensino. Os estudantes têm que ser a prioridade de todos, somos escola.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Promover a renovação geracional. Recompensar o mérito pedagógico.

– Como prefere passar os tempos livres?

A dançar com os meus filhos, sempre que posso em concertos.

– Um livro preferido?

Os da minha adolescência: “O Pequeno Príncipe”, “Dom Quixote”, Um Conto de Duas Cidades” “Os Maias”…

– Um disco/músico preferido?

U2 (já tenho bilhete para 26 de setembro); Muse (já tenho bilhete para o dia 23 de junho); Coldplay (fui ao concerto em Dublin em 2017 espero que venham brevemente a Portugal)

– Um prato preferido?

“Rancho” da minha mãe e “Sopas secas” da minha sogra acompanhado por um copo de vinho tinto do Douro.

– Um filme preferido?

Os que repito vezes sem conta: “O piano”, “O leitor”, “Era uma vez na América”, “O clube dos poetas mortos”, “A Vida é Bela” do Roberto Benigni, mas há tantos…

– Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?

Austrália (por realizar)

– Um objetivo de vida?

Ajudar os meus filhos a crescer com verdade, o que passa por ensiná-los a viver com os seus erros, com as suas dores, com as suas dúvidas e com os seus conflitos. Ensiná-los a ser generosos e a estar mais atentos aos que os rodeia. Resumindo, ajudá-los a serem pessoas decentes e felizes.

– Uma inspiração? (pessoa, livro, situação…)

O Papa Francisco.

– O projeto da sua vida…

A minha família.

– Uma ideia para promover uma maior ligação entre a Universidade e a comunidade?

Elaborar uma agenda de eventos culturais direcionados especificamente para a comunidade.