Maria Ellison

Maria Ellison nasceu perto de Manchester, mas há mais de 20 anos que vive em Portugal. É leitora na Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), onde ensina, desde 1998, Língua Inglesa e Didática do Ensino do Inglês.

Especializou-se no ensino precoce da língua inglesa, tendo coordenado vários cursos de formação (presenciais e on-line) para professores do ensino básico português. As suas principais áreas de investigação são no domínio do CLIL – Content and Language Integrated Learning (o ensino de diferentes matérias através de uma língua estrangeira) e no campo da Investigação-Ação para futuros professores de inglês (desenvolvimento da capacidade de investigação autónoma dos formadores e preparação de planos de intervenção).

No âmbito do STEPS-UP, de que foi coordenadora pedagógica, assegurou, entre 2005 e 2009, a formação de professores para o ensino precoce de Inglês na área metropolitana do Porto. O projeto envolveu mais de 5.000 alunos (dos 6 aos 10 anos de idade), distribuídos por cerca de 190 turmas de 57 escolas. Depois de ter sido premiado com o Selo Europeu das Línguas (European Language Label) em 2008, o projeto STEPS-UP foi recentemente considerado pela Agência PROALV – Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida – o melhor projeto português dos últimos dez anos na área do ensino de línguas estrangeiras.

Maria Ellison foi coordenadora pedagógica do projeto STEPS-UP

A sua visão estratégica e a determinação em ser sempre melhor.

De que menos gosta na Universidade do Porto?

A burocracia.

Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Oferecer cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento multilingues. O português continuaria a ser a língua fulcral para a maior parte dos cursos, mas alguns poderiam ser dados em línguas estrangeiras com apoio a nível linguístico e metodológico. Isto contribuiria para a melhoria da qualidade de mobilidade de alunos e professores.

Como prefere passar os tempos livres?

Fazer jardinagem. Literal e metaforicamente. Há algo de muito gratificante no cultivo – fazer crescer plantas e arrancar ervas daninhas. Gosto de experimentar, no meu jardim, o cultivo de plantas que não cresceriam nunca em Inglaterra, e depois gabar-me desses meus feitos aos meus amigos e familiares ingleses.

Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?

Pelos EUA, da Costa Oeste à Costa Leste, num descapotável Buick da década de 40.

Um livro preferido?

Um dos meus preferidos é Nineteen Eighty-Four, de George Orwell. Já o li bastantes vezes por questões de trabalho e por gosto pessoal. Continuo a achá-lo curiosamente contemporâneo…

Um disco preferido?

Depende do meu estado de espírito: de Tony Bennett a Simply Red.

Um prato preferido?

Gosto de comida portuguesa, especialmente, de marisco e peixe. Uma boa açorda de marisco e bacalhau com natas são alguns dos meus pratos preferidos. No entanto, de vez em quando, perco-me com queijo Stilton com pickles Branston.

Um filme preferido?

Qualquer coisa com o Robert De Niro.

Uma inspiração?

Jovens que abraçam a profissão docente com ideias frescas e cheios de motivação.

Um objetivo?

Aproveitar a vida ao máximo (ainda ando a trabalhar nisto….).

O STEPS-UP é…

…foi…um desafio, inovação, e a demonstração de um verdadeiro espírito de colaboração entre professores.