Kelly de Jesus

Estávamos em 2006 quando Kelly de Jesus deixou pela primeira vez a cidade de Curitiba, no Brasil, com destino ao Porto. Nos nove anos seguintes completou aqui o mestrado e o doutoramento na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP), onde desenvolveu grande parte do trajeto recentemente reconhecido com o Prêmio Jovem Pesquisador da Sociedade Brasileira de Biomecânica (SBB).

Licenciada em Educação Física na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2004), Kelly manifestou desde cedo interesse “pela ciência voltada a prática da natação”, modalidade que praticou como atleta durante 16 anos. Foi por isso que, aos 23 anos, não pensou duas vezes na hora trocar “aquele frango à milanesa da mamãe Irene” ou “aquele bacalhau com natas da Vovó Eduarda” pelo “cardápio” do Mestrado em Desenvolvimento Motor da FADEUP, onde viria a ingressar em 2006, motivada por “uma estrutura curricular extremamente completa, voltada para uma excelente preparação científica”, mas também pela oportunidade de conviver com “docentes com prestígio no panorama científico internacional em Ciências do Desporto”.  Entre eles encontrou João Paulo Vilas Boas, professor da disciplina de Biomecânica do Desenvolvimento Motor e Desempenho, que constituiu o ponto de partida para a elaboração do projeto de dissertação.

Concluído o mestrado em 2008, Kelly regressou ao Brasil, onde continuou a dedicar-se à escrita de artigos científicos, à participação em Congressos Nacionais e Internacionais, à colaboração em diversos projetos de monografia, pós- graduação e mestrado e ao treino de jovens nadadores. Até que, em 2010, o “telefone” tocou desde Portugal, com um convite para regressar à FADEUP no âmbito do Programa Doutoral em Ciências do Desporto. Aceitou o desafio dos professores Ricardo Fernandes e João Paulo Vilas-Boas e, três anos depois, em 2015, apresentava a tese intitulada “Physiological and biomechanical characterization from low to severe swimming intensities. A study performed using a front crawl intermittent incremental protocol”, ponto culminante de “um projeto verdadeiramente inovador no âmbito das Ciências do Desporto no qual demos continuidade à linha de investigação em Biomecânica da Natação, porém, com a inserção de uma outra área, a Bioenergética”.

Atualmente, Kelly é professora da Universidade Federal de Manaus (UFAM) e uma investigadora proeminente nos domínios da  natação, natação-performance, natação ensino-aprendizagem, biomecânica e fisiologia. O trabalho e a determinação da alumna da FADEUP não passaram despercebidas à Sociedade Brasileira de Biomecânica que, em março, viria distingui-la pelo seu contributo significativo para o desenvolvimento da Biomecânica. Aos 34 anos, é, contudo, à família que vai buscar a felicidade e a inspiração: “Um dos maiores desafios da minha vida é repassar a mesma educação que os meus pais deram a mim aos meus filhos. Sou eternamente agradecida por isso”.

Naturalidade? Curitiba, Paraná (Brasil).

Idade? 34 anos.

– Do que mais gosta da Universidade do Porto?

Do seu prestígio internacional.

– De que menos gosta da Universidade do Porto?

Nada de relevante.

– Uma ideai para melhorar a Universidade do Porto?

Criar maiores oportunidades para os novos investigadores com potencial ascenção recém-formados na casa, pois a evasão desses excelentes profissionais ainda é muito grande.

– Como prefere passar os tempos livres?

Agora na carreira docente não há muito tempo livre, mas quando o tenho prefiro estar junto das pessoas que amo: meu marido Bruno Graça, minha irmã Karla, família em Curitiba e Portugal (nem que seja pelo Skype) e o meu gatinho Twinko. 

– Um livro preferido?

Vidas Secas de Graciliano Ramos

Um disco/músico preferido?

é difícil relatar apenas um. Esses são os meus preferidos: Bee Gees, George Michael, Michael Jackson, Madona, Phill Collins, Sting, Whitney Houston, Sade, Toni Braxton.

 -Um prato preferido?

Essa é difícil, prefiro colocar por especialidades dos integrantes da família Jesus e Graça. Aquele feijão bem temperado do papai Hélio. Aquele frango à milanesa da mamãe Irene. Aquela maionese da madrinha Ondina. Aquele bacalhau com natas da Vovó Eduarda. Aqueles assados do marido Bruno. Aquelas moelas da sogra Ana Paula

– Um filme preferido?

“Um limite entre nós”, com Denzel Washington

– Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)? 

Conhecer a Disney World com toda a família, incluindo o nosso novo integrante que já está à caminho.

– Um objetivo de vida?

A minha felicidade e da minha família.

– Uma inspiração? (pessoa, livro, situação…)

Meus pais Hélio de Jesus e Irene Goll.

– Frase que marcou a minha trajetória na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto?

Conforme é citado na minha tese de doutoramento: “To accomplish great things, we must not only act, but also dream; not only plan, but believe.” (Anatole France)

  • Ricardo Fernandes

    Se os nossos estudantes de doutoramento fossem todos como a Kelly (e a irmã Karla) a UP seria, senão a melhor posicionada no ranking de produção cientifica internacional, aquela em que os orientadores se sentiriam mais recompensados.

  • Cecília Antão

    Muitos Parabéns à Kelly! Fiquei verdadeiramente emocionada com esta reportagem… A Kelly foi minha professora de natação na FADEUP e foi ‘apenas’ a melhor professora que tive (e frequentei as piscinas do Benfica, Olivais, Estádio Universitário e Estádio Nacional). Para além das suas qualidades pedagógicas, era de uma simpatia contagiante e com uma capacidade invulgar de gestão de equipas. Um abraço apertado da ex-aluna Cecília