Joana Oliveira

Será possível criar alimentos benéficos para a saúde a partir de resíduos do vinho? Joana Oliveira, investigadora do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências (FCUP) e responsável pelo projeto “Vine&Wine Residues”, não só tem a certeza dessa possibilidade, como tem dedicado quase toda a sua carreira de investigação a esta questão.

Nascida no Porto há 37 anos atrás, Joana Oliveira licenciou-se em Bioquímica – Ramo Industrias Alimentares na FCUP, tendo prosseguido o seu percurso académico na mesma faculdade através do Mestrado e Doutoramento em Química. Depois de seis anos como bolseira de pós-doutoramento, é hoje Investigadora FCT no Laboratório Associado para a Química Verde – Tecnologias e Processos Limpos (REQUIMTE), sedeado na Faculdade de Ciências.

Como a própria admite, desde o estágio de licenciatura que Joana Oliveira tem dedicado a sua investigação à química do vinho, nomeadamente “à identificação, caracterização estrutural e cromática de novos pigmentos derivados das antocianinas em Vinhos do Porto durante o envelhecimento”.

Atualmente, é líder do projeto de investigação “Vine&Wine Residues”, projeto que visa recuperar os polifenóis de subprodutos da indústria vinícola – nomeadamente a lenha da poda, o engaço e o bagaço de uva – com o objetivo de incorporá-los em diferentes matrizes alimentares de modo a criar alimentos funcionais, como iogurtes, sumos ou gelados, com efeitos benéficos acrescidos para a saúde Humana.

– Naturalidade? Porto.

– Idade? 37 anos.

– De que mais gosta na Universidade do Porto?

Da sua excelência no Ensino e na Investigação.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

Da separação dos vários polos e faculdades o que leva a uma menor colaboração entre as várias instituições.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Estimular a colaboração dentro da universidade e da universidade com as empresas.

– Como prefere passar os tempos livres?

Como tenho uma filha pequena, com apenas 2 anos de idade, os meus tempos livres são passados em família em brincadeiras com ela.

– Um livro preferido?
“O Código Da Vinci”, de Dan Brown.

– Um disco/músico preferido?

Não tenho nenhum músico preferido. Gosto de ouvir música na rádio e ouço de tudo um pouco.

– Um prato preferido?

Qualquer um que seja feito pela minha mãe.

– Um filme preferido?

Não é um filme preferido mas é um filme que marcou a minha infância:”Dirty Dancing” (Dança Comigo).

– Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?

Não tenho nenhuma viagem de sonho até porque não gosto de viajar de avião. Gosto de fazer pequenas escapadinhas e conhecer as várias regiões de Portugal.

– Um objetivo de vida?

Ser feliz e dar uma boa educação à minha filha.

– Uma inspiração?

A minha família.

– Qual o primeiro alimento/ produto que gostaria de ver lançado no mercado com estas características benéficas para a saúde que resultam dos resíduos do vinho?

Gostava de ver a utilização de pigmentos azuis derivados das antocianinas em produtos como gelatinas, gelados, gomas e rebuçados em substituição do uso de corantes sintéticos. Os corantes sintéticos têm como único objetivo dar cor aos alimentos enquanto que os pigmentos derivados das antocianinas além da cor, apresentam propriedades antioxidades o que pode ter efeito benéficos acrescidos para o consumidor.