Catarina Ribeiro

Catarina Ribeiro (Pessoa)Conhecida pela sua garra e determinação no mundo do Rugby Sevens feminino, Catarina Ribeiro integra a seleção nacional da modalidade e é capitã da Seleção de Rugby Sevens da Universidade do Porto que parte esta semana para o Europeu Universitário de Rugby 7 , que se disputa em Godollo, Hungria.

Para esta finalista do mestrado de Ensino da Faculdade de Desporto da U.Porto (FADEUP), a paixão pelo Rugby surgiu apenas em 2012 mas rapidamente gerou frutos. Bicampeã nacional universitária com as cores da U.Porto, liderou a equipa da Universidade que conquistou a medalha de bronze nos EUSA Games em 2014. Em paralelo, ajudou o Sport Clube do Porto a atingir o pódio (3.º lugar) no Campeonato Nacional de Sevens e sagrou-se vice-campeã europeia de Beach Rugby em representação de Portugal.

É também com as cores nacionais que a estudante da U.Porto está muito perto de concretizar o sonho olímpico.  No passado dia 19 de julho, Catarina ajudou a Seleção Nacional de Rugby Sevens a garantir o 3º lugar no torneio europeu de repescagem para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, cuja fase mundial se vai disputar no próximo ano.

A postura segura e confiante da Catarina fazem dela numa líder exímia perante as suas colegas de equipa e em 2014, a sua determinação foi recompensada com a nomeação de melhor jogadora pela Federação Portuguesa de Rugby. 

Naturalidade?

Penafiel

Idade?

24 anos

 De que mais gosta na Universidade do Porto?

Da oportunidade de praticar o que mais gosto! Numa das melhores faculdades do país! Para além disso da exigência e experiência dos professores de cada faculdade. Das oportunidades disponibilizadas pela instituição.  Depois, o que me encanta, particularmente, na fadeup é a experiência prática dos professores bem como a constante atualização e criação de projetos para e com os alunos.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

Não me lembro de nada em especial. Mas talvez de inovar alguns troncos comuns, nomeadamente no desporto dando ênfase a outras modalidades que tem aparecido e que precisam de ser dinamizadas!

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto? 

Não me ocorre nada.

– Como prefere passar os tempos livres?

Adoro passear, viajar e ver filmes sempre acompanhada pela família e/ou amigos.

– Um livro preferido?

“PS, I LOVE YOU”, de Cecilia Ahern.

– Um disco/músico preferido?

True Love, dos Coldplay.

– Um prato preferido?

Rolo de carne assado, empadão de carne

– Um filme preferido?

“Avatar” e “The Fault in Our Stars (“A Culpa é das Estrelas”).

– Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)? 

Adorava dar a volta ao mundo.

– Um objetivo de vida?

Ser feliz e fazer sempre aquilo que mais gosto. Ser jogadora profissional de rugby, ajudar a divulgar a modalidade, ensinar todas as crianças e jovens os valores desta modalidade desconhecida que se tornou recentemente olímpica.

– Uma inspiração? (pessoa, livro, situação…)

Continuar a sorrir apesar de todas as adversidades e/ou medos.

– O projeto da sua vida

Ser feliz, ser uma das melhores naquilo que faço e ajudar os outros.

– Um desejo para a tua modalidade.

Um maior reconhecimento da modalidade, principalmente no contexto feminino. A FPR (Federação Portuguesa de Rugby) tem apostado na equipa sénior feminina sendo a única seleção no programa olímpico, e para que tenhamos mais e melhores resultados precisamos de mais atletas, maior divulgação e mais apoios. Também no que diz respeito aos escalões de formação torna-se necessário um incremento do apoio dado aos projetos com crianças e jovens principalmente na zona norte e centro. Com a entrada do Rugby 7 nos Jogos Olímpicos, Portugal inteiro, todos os clubes, autarquias e universidades deverão apoiar o desporto, nomeadamente a ‘minha’ modalidade que tanto tem para dar.