Carla Oliveira

Carla Oliveira (Pessoa)A distrofia muscular das cinturas detetada quando ainda era criança atirou Carla Oliveira para uma cadeira de rodas. A história poderia terminar aqui como tantas outras mas, aos 27 anos, a estudante de mestrado da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da U.Porto (FPCEUP) recusa-se a deixar-se definir pelo “totoloto mau” que lhe saiu. Atleta de Boccia do FC Porto, tem somado sucessos na modalidade, o que lhe valeu a participação nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro 2016.

Para Carla, o boccia (classe BC4, destinada a pessoas com doenças neuromusculares) foi um desafio que se transformou em paixão. A mesma que descobriu no pavilhão do Agrupamento de Escolas António Alves Amorim (Lourosa) e que mantém hoje como atleta no Dragão Caixa, pelo Futebol Clube do Porto, o clube do coração.

Apesar de ter apenas cerca de seis anos de desporto e competição na bagagem, já soma uma medalha de ouro no Open Mundial (Poznan, Polónia, 2015) e uma presença no Campeonato do Mundo em Pequim.  A participação nos Jogos Paralímpicos no Brasil foi mais um passo natural na carreira de quem, no desporto, como no resto, só quer “continuar a ser feliz e tirar o maior proveito das oportunidades que a vida me dá”.

Licenciada em Educação Social pelo Instituto Jean Piaget, Carla Oliveira frequenta atualmente o 2.º ano do mestrado em Ciências da Educação da FPCEUP, no âmbito do qual teve já oportunidade de estagiar na Provedoria dos Cidadãos com Deficiência da Camara Municipal do Porto.

Naturalidade? Lourosa

Idade? 27 anos

 De que mais gosta na Universidade do Porto? 

Do serviço de apoio aos estudantes com necessidades educativas especiais. Falo nomeadamente do apoio prestado na residência universitária que me permitiu ter uma das experiências mais incríveis da minha vida. Por ter vivenciado um ambiente totalmente diferente mas, especialmente, pela autonomia e independência que desconhecia que tinha.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

Quando existem problemas com a Internet.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

A continuação de apoios a alunos com necessidades educativas especiais (NEE).

– Como prefere passar os tempos livres?

Sol e praia, sempre que o tempo o permita. Conviver com os amigos. Ver filmes e séries.

– Um livro preferido?

A Cabana, de William P. Young

– Um disco/músico preferido?

Sara Tavares.

– Um prato preferido?

Francesinha.

– Um filme preferido?

“Inception”.

– Uma viagem de sonho?

Cuba.

– Um objetivo de vida?

Continuar a ser feliz e tirar o maior proveito das oportunidades que a vida me dá.

– Uma inspiração?

Deus, é Ele que me dá o alento que necessito e a força para enfrentar as dificuldades. E a minha mãe, uma companheira de vida.

– Uma ideia para promover o desporto adaptado na Universidade?

Promover um contacto mais aproximado e pessoal com os estudantes a quem este tipo de desporto pode interessar.