Pedro Laginha Palma ganha Taça da Europa de Kiev

(foto: Pedro Palma)

Com apenas 23 anos, Pedro Palma já conquistou diversos prémios nacionais e internacionais (Foto: DR)

Pedro Laginha Palma , antigo estudante do Mestrado Integrado em Engenharia Industrial e Gestão da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), venceu a prova de Elite masculina da Taça da Europa de Kiev, na Ucrânia, que decorreu no passado dia 28 de junho.

O atleta de 23 anos concluiu a prova, que se realizou no centro histórico da capital da Ucrânia, em 01:49:20 horas, seis segundos à frente do atleta da casa Yegor Martynenko (01:49:26) e 12 segundos do húngaro Akos Vanek (01:49:32). A prova foi decidida nos 10 km de corrida final, com Pedro Laginha Palma, do OLI – Clube dos Galitos, a sair da bicicleta em 10º lugar, com 14 segundos de atraso para o primeiro do grupo.

Pedro Laginha Palma tem vindo a conquistar o seu lugar na modalidade desportiva de Triatlo. Mas o gosto pelo desporto surgiu um pouco tarde. Primeiro apareceu o gosto pelo ar livre e pela natureza. Quando soube que João Garcia, o mais famoso alpinista português,  praticava triatlo para se preparar fisicamente para as suas aventuras, ganhou curiosidade e descobriu que tinha jeito para nadar, pedalar e correr. Desde então, não mais parou…

Pedro entrou para a FEUP em 2008, conseguindo conciliar o curso com a atividade desportiva durante cinco anos. Atualmente os seus planos académicos encontram-se em “stand-by” de modo a permitir-lhe estar 100% focado nos objetivos desportivos. “Nesta fase deveria estar a fazer o estágio e a terminar a tese, mas por opção preferi deixar isso para quando me retirar do desporto de alta competição. Para mim faz mais sentido ainda ter a oportunidade de fazer esse estágio e concluir a minha aprendizagem, do que saltar diretamente do desporto para o mundo do trabalho”, diz.

Dos muitos prémios nacionais e internacionais já conquistados, uma das medalhas que Pedro recorda com mais carinho é a medalha de bronze no mundial universitário, conquistada em 2010, em representação da Universidade. Um prémio com muito significado, que exigiu muito trabalho de preparação e dedicação.

Para o futuro não existem metas específicas traçadas. Apenas muita dedicação, trabalho e treino: ”Se isso me pode levar a pódios em Taças do Mundo ou a uma presença nos Jogos Olímpicos não sei. Mas não queria viver com o arrependimento de nunca ter tentado saber” remata Pedro Palma.