Paulo Cunha e Silva no Dia da FMUP’15

Paulo Cunha e Silva é professor associado de Pensamento Contemporâneo na Faculdade de Desporto da U. Porto

Paulo Cunha e Silva é o orador convidado do Dia da FMUP 2015

Paulo Cunha e Silva, vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal do Porto, é o orador convidado do Dia da FMUP 2015, assinalado no próximo dia 25 de fevereiro. No ano em que a Faculdade de Medicina mais pretendida do país completa 190 anos, as Artes e a Medicina voltam a ser a temática central das celebrações.

Licenciado em Medicina, Mestre e Doutor pela Universidade do Porto, Paulo Cunha e Silva é professor associado de Pensamento Contemporâneo na Faculdade de Desporto da U. Porto. Foi um dos principais responsáveis pela programação do Porto 2001, tendo sido considerado a “figura mais relevante” da Capital Europeia da Cultura. Foi também presidente do Instituto da Artes do Ministério da Cultura, Conselheiro Cultural da Embaixada de Portugal em Roma e Comissário de um extenso programa de Guimarães 2012.

A sessão solene vai decorrer a partir das 10 horas, na Aula Magna da FMUP, sob a presidência de Sebastião Feyo de Azevedo, reitor da U. Porto. Pela primeira vez na história da instituição, a FMUP será representada duplamente no feminino, com Maria Amélia Ferreira na qualidade diretora da FMUP e Diana Rodrigues como presidente da Associação de Estudantes.

Após a intervenção de Paulo Cunha e Silva, serão impostas as insígnias aos novos doutores da FMUP, pelo reitor da U.Porto e pela diretora da Faculdade de Medicina. Os docentes que realizaram provas de Agregação no ano transato também serão distinguidos na cerimónia.

Com o patrocínio da Fundação Professor Ernesto de Morais, será atribuído o prémio Professor Ernesto de Morais, no valor de 2.500 euros, ao melhor estudante da área da Genética do Mestrado Integrado em Medicina.

O evento integrará, como é tradição, as interpretações da Tuna, Tuna Feminina e Grupo de Fados da FMUP.

No átrio da Aula Magna estará patente uma exposição organizada por Amélia Ricon Ferraz, diretora do Museu da História da Medicina.