O gato na arte egípcia é tema de conferência na Reitoria da U.Porto

A Coleção Egípcia da Universidade do Porto é pretexto para uma análise à presença do gato na arte do Egipto Antigo.

“Miu, Miau: A presença do gato na arte egípcia” é o título da conferência de entrada livre que o egiptólogo Luís Manuel Araújo, docente da Universidade de Lisboa, vai proferir no Salão Nobre da Reitoria da U.Porto, às 15 horas do dia 6 de maio, sábado.

Segundo o autor, “o gato egípcio, chamado miu ou miau, era muito apreciado como animal de companhia no lar, e por isso aparece com frequência representado nas imagens que decoram as paredes dos túmulos, debaixo da cadeira da dona. Devido às suas caraterísticas protetoras, o gato foi também evocado na religião como um defensor do deus solar Ré e como animal sagrado da deusa Bastet”.

O egiptólogo Luís Manuel Araújo é o autor da conferência “Miu, miau: A presença do gato na arte egípcia”.

Doutorado em Letras (História e Cultura Pré-Clássica) pela Universidade de Lisboa, Luís Manuel Araújo é licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), com estágio de pós-graduação em Egiptologia na Faculdade de Arqueologia da Universidade do Cairo (1984-1985). Atualmente, é professor da FLUL, no Departamento de História (Instituto Oriental), lecionando cadeiras da área de História e Cultura Pré-Clássica, com orientação de teses de mestrado e doutoramento na área de História Antiga (Egiptologia).

A convite da Comissão Organizadora das Comemorações do Centenário da Universidade do Porto, Luís Manuel Araújo dedicou-se, em 2011, ao estudo da Coleção Egípcia da U.Porto, tendo resultado desse trabalho a conceção de uma exposição das peças disponíveis nesta coleção – que esteve patente no edifício da Reitoria no âmbito aquelas comemorações – e um catálogo que acabaria por ser classificado com o prémio de “Melhor Catálogo” de 2012 pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM).

Durante esta conferência, fruto da colaboração com o Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto, poderão ser vistas algumas das peças da Coleção Egípcia da U.Porto.