Núcleo de Etnografia e Folclore da U.Porto ensina quadrilhas e contradanças durienses

A Oficina de Contradanças Durienses está aberta ao público em geral. Inscrições abertas.

Foi na região do Douro, património mundial da UNESCO, que nasceram as quadrilhas e contradanças como uma manifestação da cultura popular, presente nos ranchos folcróricos e nos bailes tradicionais da desta região. Ao som dos grupos Cantas E Cramois Cinfães e do Rancho Santa Cruz Alvarenga, o NEFUP (Núcleo de Etnografia e Folclore da Universidade do Porto), em parceria com o Coreto – Associação para a Promoção de Artes e Culturas Tradicionais, organiza, no próximo dia 28 de janeiro, domingo, entre as 15h30 e as 18h30, a Oficina de Contradanças Durienses.

Durante a tarde, os participantes terão oportunidade de conhecer a história desta dança típica, pela voz dos músicos e mandadores da região. A participação na oficina é aberta ao público em geral, tendo um custo de 5 euros/participante. Os sócios da Coreto podem participar mediante o pagamento de 3 euros/pessoa, e para os sócios do NEFUP e alunos da U.Porto a participação é gratuita (sujeita a inscrição).

A Oficina de Contradanças Durienses realiza-se na sede do NEFUP (Rua dos Bragas, 289) e o acesso deve ser feito pela entrada na Praça Coronel Pacheco, junto ao parque de estacionamento do edifício UPTEC PINC. As inscrições estão abertas até 24 de janeiro, quarta-feira – mediante a disponibilidade de lugares – e devem ser feitas através do e-mail nefup.workshop@gmail.com.