Nova spin-off do INESC TEC inova no combate às doenças neurológicas

Spin-off nasceu da investigação do INESC TEC, FEUP e Hospital Universitário de S. João na área da Engenharia Biomédica.

InSignals Neurotech é o nome da mais recente spin-off do INESC TEC. Nascida em fevereiro de 2019, esta nova empresa da área da saúde resulta da aposta feita pelo INESC TEC, com o apoio do Hospital Universitário de São João, na área da Engenharia Biomédica.

A spin-off tem também participação na InSignals Neurotech o grupo Frontier IP do Reino Unido, especialista em comercialização de propriedade intelectual universitária, que tem agora a sua terceira spin-off em Portugal.

A InSignals Neurotech nasceu da investigação de um grupo de investigadores do Centro de Investigação em Engenharia Biomédica (C-BER) do INESC TEC, liderados por João Paulo Cunha, um dos coordenadores do centro e docente da Faculdade de Engenharia da U.Porto (FEUP). O grupo criou um dispositivo wireless vestível que avalia a rigidez do pulso para apoio a procedimentos neurocirúrgicos de estimulação cerebral profunda. Esta tecnologia foi já testada em pacientes de Parkinson e pode vir também a ser útil em doentes de epilepsia ou outras doenças do foro neurológico.

Aplicações potenciais desta tecnologia comercializada pela InSignals Neurotech incluem ajudar instituições farmacêuticas a monitorizar ou a avaliar o impacto de medicamentos novos ou aprovados na redução da rigidez durante os ensaios clínicos.

Para João Paulo Cunha “a criação da InSignals Neurotech, juntamente com os parceiros da Frontier IP, vai funcionar como um forte veículo de inovação para consolidar as tecnologias relacionadas com o cérebro que os investigadores do INESC TEC têm vindo a desenvolver desde há vários anos com a Universidade do Porto – através da FEUP e do Hospital Universitário de S. João – e, assim, dar um passo para o mercado internacional”.

A tecnologia foi reconhecida, também em fevereiro, com o prémio do i3S Hovione Capital Health Innovation Prize, promovido pelo i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto e pela Hovione Capital, que tinha como objetivo distinguir trabalhos inovadores na área da saúde.