Morreu José Mota Freitas, figura da FEUP e da engenharia portuguesa

Figura marcante na engenharia portuguesa, José Mota Freitas é um dos mais galardoados engenheiros nacionais. (Foto: DR)

José Mota Freitas, professor jubilado da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e figura incontornável do panorama da engenharia civil em Portugal, faleceu no passado dia 13 de janeiro, aos 78 anos de idade.

Apesar de estar afastado da atividade letiva desde 2009, José Mota Freitas esteve sempre ligado à Faculdade de Engenharia, escola onde, ao longo de mais de 40 anos, desenvolveu a sua atividade enquanto professor. Começou em 1968 como Assistente, tendo sido encarregado das aulas práticas das disciplinas de Teoria das Estruturas, Mecânica dos Solos, Resistência dos Materiais e Construções Civis. Posteriormente lecionou todas as restantes disciplinas do Curso de Engenharia Civil do ramo de Estruturas. Saiu em 1972 e regressou em 1974, após o 25 de Abril. Manteve-se na FEUP a lecionar disciplinas de Construções Metálicas e Mistas até 2009, ano da sua jubilação.

Paralelamente à carreira docente, José Mota Freitas integrou desde 1968 o Gabinete de Estudos ETEC, empresa de que se tornou sócio e onde desenvolveu uma intensa e reconhecida atividade enquanto projetista. Das muitas obras que projetou destacam-se a Cobertura da Capelinha das Aparições (1976), o projeto de estruturas do Pavilhão do Futuro, integrado no Parque Expo 98 (1995), o Silo Auto da Trindade (2000) ou a Igreja da Santíssima Trindade, no Santuário de Fátima (2007).

Pela sua intervenção na Igreja da Santíssima Trindade, no Santuário de Fátima, foi distinguido, em 2009, com o Outstanding Structure Award (OSTRA), um dos mais importantes prémios internacionais na área da Engenharia de Estruturas.

Em janeiro de 2012, José Mota Freitas foi homenageado pela Ordem dos Engenheiros (OE), numa cerimónia que decorreu no auditório da FEUP e que representou o culminar simbólico da carreira do professor.

O funeral do Professor José Mota Freitas realiza-se esta segunda feira, dia 16, com as cerimónias fúnebres a ter início pelas 10h00 na Igreja das Antas, seguindo, após a missa, para o cemitério de Canelas, em Gaia.