Microplásticos debatidos pela primeira vez na U.Porto

A contaminação ambiental por plásticos e microplásticos é uma preocupação crescente da comunidade científica. (Foto: DR)

O Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da Universidade do Porto acolhe de 19 a 20 de dezembro o 1.º congresso português sobre Microplásticos, no qual será debatida a “Contaminação Ambiental por Microplásticos e suas Implicações para a Saúde dos Ecossistemas, Animal e Humana”.

Numa altura em que a contaminação ambiental por plásticos e microplásticos é um paradigma à escala global, este congresso organizado pelo Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR) e pelo ICBAS pretende ser um espaço de reflexão sobre um conjunto de questões às quais urge dar resposta, de forma a avaliar riscos para a saúde ambiental, animal e humana e aumentar a segurança e eficácia na produção, utilização, reciclagem e reutilização destes materiais.

Para o efeito, é esperada uma forte adesão por parte da comunidade científica nacional, nomeadamente aquela que tem vindo a desenvolver investigação sobre microplásticos, mas também de diversos outros setores e da sociedade em geral têm participado ativamente nesta problemática. Neste sentido, será importante debater questões e abordagens, encontrar sinergias e sobretudo cultivar um espírito de grupo que permita em conjunto ver e ir mais longe.

O MICROPLÁSTICOS 2016 conta com o apoio da Associação Portuguesa do Lixo Marinho (APLM) e nele serão apresentadas/discutidas as contribuições mais recentes da comunidade científica nacional, no âmbito de diversas sessões temáticas, incluindo sessões mais vocacionadas para atividades dirigidas à sociedade em geral e de cooperação com o setor indústria/negócios, entre outras. Durante o congresso ocorrerá ainda um workshop sobre o tema inserido nas comemorações dos 20 anos da Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO): “O paradigma da contaminação ambiental por microplásticos: o que sabemos, o que não sabemos e o que precisamos de saber”.

Muitas destas questões e contribuições para encontrar metodologias, processos e soluções necessitam da cooperação entre os setores de académico, indústria/negócios e do público em geral.

As inscrições para o congresso são gratuitas, mas obrigatórias, mas obrigatórias. Os interessados devem submeter os seus resumos até 12 de dezembro de 2016 através do site do evento.