Memórias do Estado Novo revisitadas na FLUP

Os sistemas de propaganda do Estado Novo serão um dos temas abordados no workshop. (Foto: DR)

A ditadura militar, a censura e os movimentos clandestinos de combate ao fascismo vão “voltar” hoje e amanhã (8 e 9 de fevereiro), à Universidade do Porto. O pretexto será o workshop “História e memória da ditadura: o caso português”, uma iniciativa realizada âmbito do Curso de Doutoramento em História da Faculdade de Letras da da U. Porto (FLUP) e do projeto de investigação Estado e memória: políticas públicas da memória da ditadura portuguesa (1974-2009).

Da propaganda à guerra colonial, passando pela história da oposição à ditadura portuguesa (1926-1974) e pelas memórias de quem viveu na clandestinidade, são vários os temas que, a partir das 15h30 desta sexta-feira, e ao longo de dois dias (ver Programa), vão ser tratados na FLUP (Sala 201, 2ª piso) por diversos especialistas em História da U.Porto e da Universidade Nova de Lisboa. No primeiro dia, Manuel Loff (FLUP, IHC/FCSH/UNL) abordará o salazarismo enquanto projeto político-ideológico que marcou profundamente a memória coletiva portuguesa. Ana Sofia Ferreira (IHC/FCSH/UNL) fará uma análise do impacto que as oposições à ditadura tiveram na perceção social que se foi formando sobre a mesma.

No segundo dia de trabalhos, Isabel Menezes (FPCEUP, CIIE) apresentará a visão que os manuais escolares do período pós-ditatorial português foram transmitindo aos alunos do Ensino Básico e Secundário sobre o papel que o regime do Estado Novo teve na História portuguesa. Luciana Castro Soutelo abordará, por sua vez, a memória pública da ditadura que foi sendo transmitida através da imprensa do período democrático. Cristina Nogueira (IHC/FCSH/UNL) dedicar-se-á à análise da memória sobre a clandestinidade, abordando, particularmente, as formas de organização e intervenção da oposição comunista durante o período ditatorial. Finalmente, o evento conta ainda com a participação do Subdiretor-Geral de Arquivos, Silvestre Lacerda (DGArq), que fará uma comunicação sobre as formas de preservação arquivística da memória da ditadura portuguesa.

Este workshop (de entrada livre e gratuita, não havendo necessidade de inscrição prévia) está aberto à participação de estudantes dos vários ciclos de estudos, como, igualmente, de docentes e investigadores das mais variadas áreas das ciências sociais e humanas e ao público em geral.

Para mais informações ou esclarecimentos, contactar a organização através do endereço de email fpiedade@letras.up.pt.

Sobre o projeto

Financiado pela FCT e pelo Programa COMPETE, o projeto “Estado e memória: políticas públicas da memória da ditadura portuguesa (1974-2009)”, (PTDC/HIS-HIS/121001/2010), insere-se num campo de estudos que tem mobilizado as Ciências Sociais para a investigação sobre períodos significativos de opressão política e social – nazismo, fascismo, estalismo, entre outros regimes – ocorridos na Europa no século XX. No caso português, pretende-se assim lançar novas luzes no debate que em torno da memória da ditadura salazarista se tem desencadeado na sociedade portuguesa nos últimos 40 anos.