Memórias de Fernando Pessoa em exposição na U.Porto

Fernando Pessoa

Os visitantes vão poder ver os óculos, a máquina de escrever ou o último bilhete de identidade do autor do “Livro do Desassossego”. (Foto: DR)

Os óculos, a máquina de escrever, blocos e cadernos de apontamentos, cartões de visita, um porta moedas e o último bilhete de identidade do autor do “Livro do Desassossego”. A partir dos próximo dia 5 de novembro, estes são apenas alguns dos objetos pertencentes a Fernando Pessoa que vão poder ser apreciados no edifício da Reitoria da Universidade do Porto, no âmbito da exposição Orpheu e a sua época”, inserida nas comemorações dos 100 anos da revista Orpheu.

Reunindo um conjunto alargado de objetos provenientes da Casa Museu Fernando Pessoa e da Fundação Cupertino de Miranda, esta exposição conduzirá os visitantes numa viagem única pelo imaginário de um dos maiores vultos da literatura portuguesa. Para além dos objetos que Pessoa usou em diferentes fases da sua vida (onde se incluem também boquilhas, um devocionário, uma carta a António Ferro ou o emblema que o escritor usou enquanto frequentou a Durban High School, na África do Sul), vai ainda ser possível apreciar os três exemplares – um dos quais nunca publicado – da revista Orpheu, uma escultura de Mario Cesariny e um quadro dedicado a Mário de Sá Carneiro, da autoria de Cruzeiro Seixas.

A inauguração da exposição será o ponto culminante da jornada comemorativa organizada pela U.Porto para assinalar o centenário da Orpheu, publicação que, apesar da sua curta existência (teve apenas dois números, publicados nos primeiros dois trimestres de 1915), revolucionou o panorama social e cultural do país e deu expressão ao movimento modernista, encabeçado por nomes como Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, Almada-Negreiros ou Santa-Rita Pintor.

É essa história que Arnaldo Saraiva, professor da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, vai introduzir na conferência que vai abrir o programa de eventos, pelas 17h00, no Auditório Ruy Luís Gomes. Segue-se a projeção do filme “Desassossego”, com a presença do realizador João Botelho.

A sessão vai encerrar com a abertura de “Orpheu e a sua época”, que será assinalada com a leitura de poemas de Fernando Pessoa, Mário de Sá Carneiro, Ângelo de Lima e Ronaldo de Carvalho. Com entrada livre, a exposição ficará instalada na antiga Sala de Mineralogia e pode ser visitada até 15 de dezembro, de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 18h00.

As visitas de grupos são igualmente livres e gratuitas, mas sujeitas a inscrição prévia, através do e-mail cultura@reit.up.pt.