Medalha de Mérito Científico atribuída a antigo Reitor e Diretor da FEUP

José Marques dos Santos, antigo Reitor da U.Porto, Direotr da FEUP e atual Professor Emérito foi distinguido pelo MCTES (foto: D.R.)

José Marques dos Santos, antigo Reitor da Universidade do Porto e Diretor da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e atual Professor Emérito, recebeu no dia 3 de julho, pelas mãos do  ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, a Medalha de Mérito Científico, que distingue personalidades portuguesas ou estrangeiras que tenham contribuído para o desenvolvimento da ciência ou da cultura científica em Portugal.

Com um extenso currículo académico, o antigo docente do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (DEEC) da FEUP também dedicou cerca de 25 anos à gestão universitária onde se empenhou na criação de condições para o desenvolvimento da ciência na U.Porto. Após a aposentação voltou a envolver-se na vertente da investigação e do desenvolvimento científico, nomeadamente na área da produção industrial inteligente.

Marques dos Santos não esconde o orgulho sentido por receber a distinção do Ministério e refere a importância de iniciativas que reconhecem o mérito: “Reconhecer como meritória a atividade profissional desenvolvida, para além da honra e satisfação pessoal a que dá lugar, constitui uma motivação para que outras pessoas se empenhem a cumprir com gosto e competência a missão profissional que lhe está cometida.”

Além de José Marques dos Santos, foram homenageadas outras 16 personalidades de destaque para a ciência portuguesa, incluindo Francisco Carvalho Guerra, antigo Professor Catedrático da Universidade do Porto e da Universidade Católica Portuguesa. Doutorado em Bioquímica pela U.Porto, Carvalho Guerra foi um dos mais destacados cientistas nacionais da sua geração, tendo assumido a função de Delegado Nacional na NATO, onde chegou a assumir a presidência do Painel dos Projetos de Investigação da organização.

Em 1976 foi um dos três cientistas responsáveis pela criação do Centro de Citologia Experimental da Universidade do Porto (1976), que mais tarde daria origem ao IBMC – Instituto de Biologia Molecular e Celular, um dos centros de investigação portugueses com maior reconhecimento internacional, agora integrado no i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da U.Porto.

Vice-Reitor da Universidade do Porto entre 1985 e 1991, Presidente do Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa de 1991 a 2006 – ano em que proferiu a sua última aula –, Carvalho Guerra foi ao longo da sua carreira autor e co-autor de mais de 80 artigos científicos publicados em revistas nacionais ou internacionais da área de bioquímica e apresentou mais de 70 comunicações científicas em conferências nacionais e internacionais.

A entrega das medalhas decorreu no âmbito do Encontro Ciência 2017, que decorreu no Centro de Congressos de Lisboa, de 3 a 5 de julho.

Sobre José Marques dos Santos

José Marques dos Santos nasceu em Bolama, Guiné-Bissau, a 31 de janeiro de 1947. Licenciado em Engenharia Eletrotécnica pela U.Porto em 1971 e doutorado pela Universidade de Manchester (Reino Unido) em 1977, é professor catedrático da FEUP desde 1989, tendo assumido a direção da faculdade durante 11 anos consecutivos, entre 1990 e 2001. No ano seguinte tomou conta de uma das vice-reitorias da universidade, tendo a seu cargo a instalação e presidência do IRICUP – Instituto de Recursos e Iniciativas Comuns da U.Porto.

Foi eleito Reitor da U.Porto a 17 de maio de 2006. Após um primeiro mandato marcado pelos processos de implementação do Processo de Bolonha nas escolas da U.Porto e de adoção do modelo de fundação pública com regime de direito privado (em 2009), a estratégia da equipa de Marques dos Santos centrou-se na consolidação do estatuto da U.Porto enquanto Universidade de investigação reconhecida internacionalmente, e agente ativo no desenvolvimento económico e social da região e do país. Objetivos que têm vindo a ser cumpridos com sucesso, fruto da ascensão da U.Porto nos principais rankings internacionais do Ensino Superior, do aumento exponencial de estudantes estrangeiros  e da consolidação da posição da Universidade enquanto maior Produtor de Ciência em Portugal. Em 2010, foi reeleito para um segundo mandato à frente da Reitoria, que cumpriu até ao fim.

Desde 2014,  na FEUP e no INESC TEC, tem-se dedicado a apoiar vários projetos , em particular na área da produção industrial inteligente, através de  parcerias estratégicas envolvendo aquelas duas entidades e também o INEGI. Em 2015 foi também nomeado Professor Emérito da U.Porto, galardão que visa reconhecer a contribuição de Professores jubilados e reformados em prol da Instituição.

  • Teresa Sousa

    É com muito orgulho e contentamento que recebo a notícia deste reconhecimento do mérito do Professor José Marques dos Santos, no seu contributo para o desenvolvimento da ciência e da cultura científica, no seu empenho na criação de condições necessárias.
    Neste reconhecimento deve incluir-se o longo percurso de gestão na U.Porto, assente em princípios de rigor, competência e eficiência, mas também uma gestão de proximidade e de respeito, de gestão humanizada.

    Liderou pelo exemplo, perante aqueles com quem se relacionou, tendo a capacidade de os motivar e inspirar a superarem-se positivamente, bem como de reconhecer o seu valor e empenho.
    Os meus parabéns e desejo de continuação de muito sucesso profissional e pessoal. Felicidades!