Matemática, música, criatividade e engenharia unidas na FEUP

Antigo estudante e professor da FEUP, Manuel Corrêa de Barros Júnior foi Reitor da U.Porto entre 1961 e 1969. (Imagem: DR)

O Auditório da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) acolhe no próximo dia 23 de novembro, a partir das 21h30, a sessão de encerramento das comemorações da Figura Eminente da Universidade do Porto, este ano dedicadas a Manuel Corrêa de Barros Júnior.

O evento arranca com uma palestra, proferida pelo docente da Faculdade de Ciências da U.Porto (FCUP) João Tavares, que vai abordar a relação entre a Matemática e a Música, dois temas muito queridos a Corrêa de Barros Jr. e abordados, inclusivamente, numa das suas famosas preleções.

A sessão segue depois com a divulgação e entrega do prémio ao vencedor do Concurso de Ideias ‘A U.Porto do futuro – uma visão multidisciplinar’. Dirigida a todos os estudantes da U.Porto, esta iniciativa teve o principal objetivo de integrar e sensibilizar os seus participantes para as vantagens de uma formação holística e multidisciplinar de base. Foram recebidas 15 propostas e, após uma seleção das três ideias finalistas, o júri elegeu a vencedora, a anunciar exclusivamente neste momento do programa.

Haverá ainda espaço para duas intervenções institucionais, a cargo de João Falcão e Cunha, Diretor da FEUP e por Sebastião Feyo de Azevedo, Reitor da U.Porto. Finalmente, e porque música não podia faltar (como, alías, nunca faltou na vida da Figura Eminente da U.Porto 2017), surge o derradeiro momento de encerramento da homenagem: um concerto da Orquestra Clássica da FEUP, um projeto assinado pelo Comissariado Cultural da Faculdade de Engenharia.

Com entrad livre e gratuita, esta sessão assinala o culminar de uma série de iniciativas decorridas ao longo do ano que homenagearam e destacaram a obra e vida de Manuel Corrêa de Barros Júnior. Apresentações institucionais, uma Mesa Rendonda, Exposição Antológica sobre sua vida e obra e ainda um debate sobre mobilidade elétrica nas cidades foram algumas delas.

O programa das comemorações contou com o comissariado de José Marques dos Santos, antigo Reitor da U.Porto, Diretor da FEUP e professor Emérito da Faculdade de Engenharia e pode ser revisitado no site do evento, em figuraeminente.up.pt/2017/.

Recordando Manuel Corrêa de Barros Júnior

Natural do Porto, onde nasceu a 7 de outubro de 1904, Manuel Corrêa de Barros Júnior licenciou-se em Engenharia Civil em 1929 na FEUP. Foi em 1933 que obteve uma nova licenciatura, desta vez em Engenharia Eletrotécnica, também na Faculdade de Engenharia, prosseguindo estudos até ao doutoramento (1944), onde abordou “Os Comprimentos Virtuais dos Caminhos de Ferro Eléctricos”. Em 1942, e também na Faculdade de Engenharia, foi contratado como Assistente, e, em 1945, como Professor Catedrático do 6º Grupo (Electrotecnia). De 1950  a 1961 foi diretor desta mesma Faculdade, ano em que tomou posse como Reitor da Universidade do Porto. Destes mandatos, destaque para a restauração da antiga Faculdade de Letras (1961) e para o arranque das atividades da Faculdade de Economia. A seu pedido, foi exonerado do cargo de Reitor em 1969, momento em que assume a presidência da Comissão Eletrotécnica Portuguesa. Em 1970 regressa à FEUP, onde assume os cargos de diretor das Oficinas de Eletrotecnia e diretor do Gabinete de Eletricidade. Jubilou-se a 23 de janeiro de 1975.

A nível profissional, foi na Central Termoeléctrica de Massarelos da Companhia Carris de Ferro do Porto, onde esteve entre 1931 e 1945, que Corrêa de Barros esteve envolvido em trabalhos muito relevantes ligados à eletrificação da cidade do Porto, nomeadamente a modernização e aumento da capacidade da central e a sua adaptação à queima dos carvões nacionais de inferior qualidade. A partir do ano de 1945 e durante cerca de vinte e cinco anos foi engenheiro numa empresa produtora de porcelanas elétricas, exercendo o cargo de diretor do Gabinete e Laboratório de Estudos da Fábrica de Porcelana da Vista Alegre, que criou, tendo tido intervenção destacada no desenvolvimento de isoladores elétricos para redes de alta tensão utilizados em Portugal.

Paralelamente aos notáveis contributos na área da Engenharia, a Figura Eminente U.Porto 2017 publicou várias obras ligadas ao pensamento, filosofia e poesia: “Lições de Filosofia Tomista” (1942), “Sonetos Portugueses” (1945) (tradução de obra de Elisabeth Barret Browning), “Reflexões de um Estudioso de S. Tomás” (1982) e “Filosofia Tomista”, 2.ª Ed. Revista (1966).

Manuel Corrêa de Barros faleceu no Porto a 8 de abril de 1991, deixando um legado de grande dedicação à Universidade do Porto e à sociedade, com contributos inexcedíveis para o crescimento do nível científico e técnico e do prestígio dos cursos de Engenharia Eletrotécnica e de Engenharia Mecânica da FEUP, não esquecendo o seu pendor humanista e intelectual multifacetado, nos domínios da filosofia, da linguística e da música, características de grande relevância para uma Universidade que se preocupa com a formação integral dos seus estudantes.