Marinha Americana financia projeto do INESC TEC

Créditos foto: Flickr

O INESC TEC vai estudar novos algoritmos que permitam monitorizar múltiplos objetos, em condições extremas de luminosidade. A análise de imagens, utilizando técnicas de visão por computador, é essencial para algumas áreas do Gabinete de Investigação Naval dos Estados Unidos da América (ONRG – Office of Naval Research Global, USA), entidade que vai financiar o projeto.

“A obtenção de informações precisas e confiáveis através da análise de imagens é muito importante, nomeadamente na área dos sistemas autónomos e não tripulados”, refere Maximino Bessa, investigador do INESC TEC e professor na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

Estes sistemas precisam de ser operados numa ampla variedade de condições de iluminação. Muitas vezes as imagens são recolhidas em situações extremas de luz onde podem existir múltiplos objetos em situações de iluminação muito distintas. “Por exemplo, um objeto pode estar numa área muito escura (numa sombra), enquanto outro pode estar numa área muito brilhante (sob o brilho do sol)”, explica o investigador.

Este é, por isso, um projeto inovador já que, atualmente, neste tipo de cenários, mesmo os mais recentes algoritmos, são incapazes de realizar o seguimento de objetos devido à sua incapacidade de extrair informação dos dados capturados, uma vez que as imagens capturadas podem estar sub ou sobre-expostas.

Com este projeto pretende-se ultrapassar esta limitação, através da utilização das técnicas de Elevada Gama Dinâmica conhecidas por HDR (High Dynamic Range).

Trata-se da primeira vez que o INESC TEC consegue aprovação de um projeto com a ONR, que faz parte do Departamento da Marinha do Governo dos Estados Unidos da América e tem como objetivo coordenar, executar e promover os programas e ciência e tecnologia da US Navy e do Corpo de Marines.

Além do INESC TEC, que coordena o projeto, participam também a UTAD e a Universidade de Warwick (Inglaterra).  O projeto tem a duração de dois anos.