Maior cadeia comercial inglesa utiliza software com ADN FEUP

A Infraspeak nasceu em 2015 pelas mãos de Felipe Ávila e Luís Martins (foto: Observador.pt)

Falamos de 17 centros comerciais ingleses, dois dos quais os maiores da Grã-Bretanha, que vão passar a ter um pouco de ADN FEUP. A Intu, maior cadeia de centros comerciais inglesa, vai utilizar o software da startup portuguesa Infraspeak em quase 20 dos espaços comerciais que gere para a manutenção das operações técnicas.

A iniciativa partiu de um projeto piloto de aceleração promovido pela Intu e pela consultora inglesa L Marks, ao qual se candidataram 120 empresas. Destas foram selecionadas sete, entre as quais se inclui a Infraspeak . Os programas incluem gestão de operações, robôs para auxiliar clientes e aplicações para melhorarem as compras online e offline.

Mas então, como nasceu esta startup que, só em 2106, cresceu 243% e que pretende ajudar gestores a poupar tempo, dinheiro e stress na organização e distribuição do trabalho? Tudo começou quando Felipe Ávila da Costa se cruza com Luís Martins no Parque de Ciência e Tecnologia do Parque da Universidade do Porto (UPTEC), ambos com formação em Engenharia Informática pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

Felipe faz até questão de reforçar que o “herói da história” não é ele mas sim Luís, que esteve a desenvolver a ideia desde o seu projeto de final de curso na FEUP. Passados cerca de três anos, Felipe, que na altura dava apoio a startups no UPTEC, juntou-se ao Luís para levar a tecnologia para o mercado. Em abril de 2015 nasce a Infraspeak.

E em que consiste, afinal, a Infraspeak? É mais fácil perceber criando um pequeno contexto: imagine um centro comercial de média dimensão, onde todos os dias várias equipas de limpeza e de manutenção têm centenas e centenas de tarefas para executar, desde a limpeza das lojas e zonas comuns às ditas tarefas de logísitca (trocar lâmpadas, verificar cabos e sistemas de ventilação, etc.). Todas etas tarefas estão, claro está, sob a gestão de um responsável de manutenção. Face à complexidade deste cenário, a Infraspeak trasfere toda a calendarização e organização de trabalho para uma plataforma digital, fácil de navegar e consultar.

Felipe Ávila da Costa, CEO da Infraspeak, realça que “ver o Infraspeak em utilização no mercado britânico, e conhecer mais profundamente como é a rotina das operações no Reino Unido, é uma excelente oportunidade para aprimorar a nossa plataforma e um passo importante para crescer em mais mercados”.

Atualmente, a Infraspeak conta com 12 colaboradores, mais de 75 clientes em Portugal, Brasil, Angola, Espanha e, mais recentemente, no Reino Unido. A emoresa ambiciona acabar 2017 com um volume de vendas superior a 400 mil euros