L’Oréal Portugal distingue investigadoras da U.Porto

Investigadoras vão receber 20 mil euros de financiamento para os respetivos projetos de investigação.

Aos 32 anos, Inês Gonçalves dedica-se a desenvolver biomateriais com potencial para serem usados na prevenção do cancro gástrico. Já o trabalho de Joana Tavares, de 35 anos, pode ajudar a lançar novas pistas rumo ao desenvolvimento de uma vacina contra a malária. Investigadoras, respetivamente,  do Instituto de Engenharia Biomédica (INEB) e do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) da Universidade do Porto, ambas estão entre as três cientistas distinguidas na 10ª edição das “Medalhas de Honra L‟Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência”.

Inês Gonçalves (Foto: DR)

No caso de Inês Gonçalves, o projeto distinguido assenta no desenvolvimento  de um biomaterial capaz de eliminar do estômago a bactéria  Helicobacter pylori, cuja infecção – que atinge mais de metade da população mundial – está associada ao cancro gástrico.  Através desta proposta de tratamento inovadora, cujo desenvolvimento envolve também o IPATIMUP, a investigadora, doutorada em Engenharia Biomédica pela Faculdade de Engenharia da U.Porto (FEUP), pretende estabelecer uma alternativa ao tratamento convencional por antibióticos, que se mostra ineficaz num em cada cinco casos de infecção por Helicobacter pylor.

Joana Tavares (Foto: DR)

Igualmente ambicioso é o trabalho que Joana Tavares está a implementar no IBMC. Recorrendo a técnicas avançadas de imagem em tempo real, a cientista portuense tem como objetivo identificar, decifrar e, em último caso, interferir com os mecanismos utilizados pelo parasita da malária para conseguir vencer as defesas do hospedeiro e instalar-se no fígado. Com o projeto agora distinguido, a investigadora licenciada em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Farmácia (FFUP) e doutorada em Bioquímica pela U.Porto pretende avaliar se as alterações produzidas podem constituir um alvo a considerar no desenho de uma vacina – atualmente inexistente – que previna a doença parasitária que mais mata a nível mundial (660 mil pessoas, só em 2010, segunda dados da Organização Mundial de Saúde).

Para além duas investigadoras da U.Porto, o júri científico das Medalhas de Honra L`Oréal – presidido por Alexandre Quintanilha, professor do ICBAS – selecionou ainda o trabalho de Luísa Neves (da Rede de Química e Tecnologia REQUIMTE, da Universidade Nova de Lisboa) entre cerca de 100 candidaturas. O galardão, no valor de 20 mil euros, é entregue esta quarta-feira, dia 29 de janeiro, em Lisboa, pelas mãos de Leonor Parreira, Secretária de Estado da Ciência.

Sobre as Medalhas de Honra L`Oréal

Lançado em 2004, numa parceria da L‟Oréal Portugal, Comissão Nacional da UNESCO e Fundação para a Ciência e a Tecnologia, a Medalha de Honra L`Oréal nasceu para distinguir e incentivar o trabalho de mulheres doutoradas, com menos de 35 anos, que efectuam a sua em pesquisa em Portugal nas áreas da saúde e do ambiente.

Entre as 28 cientistas distinguidas pela gigante multinacional de cosméticos nas nove edições anteriores destacam-se mais três investigadoras da U.Porto: Sandra Sousa (IBMC, 2005), Maria Oliveira (INEB, 2009) e Joana Marques (FMUP, 2010).