Lojas com meio século rendem-se às vitrinas contemporâneas

“Vim cá de propósito! Já tinha visto e gostei muito. Tanto que trouxe o meu marido para vir ver comigo.”, refere uma cliente da loja.

“Vim cá de propósito! Já tinha visto e gostei muito. Tanto que trouxe o meu marido para vir ver comigo.”, refere uma cliente da loja.

Carvalho, Batista & Cª Sa, Casa lima, A. Costa Real, Casa Natal e Casa Januário são, há muitos anos, cinco nomes sonantes do comércio tradicional portuense. Agora, são também as cinco lojas que viram a sua vitrina renovada por estudantes da Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto (FBAUP).

A iniciativa de vitrinismo, que conta com o apoio institucional da Porto Lazer e do UPTEC– Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, é organizada pela Porto Paralelo, projeto que tem como principal objetivo a revitalização do comércio tradicional da Invicta, através do Design de Comunicação e da introdução de estratégias de marketing e comunicação contemporâneas.

Os comerciantes não escondem o entusiasmo pelo trabalho desenvolvido pelos estudantes do 4º ano de Design de Comunicação da FBAUP. Alberto Costa Real, gerente da A.Costa Real, refere que “ficou uma montra totalmente diferente do que a casa estava habituada. No comerciante antigo ainda está enraizado um tipo de montra totalmente diferente da atualidade, mas está muito bonita e a maioria das pessoas vem cá dar-nos os parabéns. Para o ano espero que haja mais montras de Natal“.

Alberto Costa Real confessa, ainda, a título de curiosidade que “o antigo gerente da loja (é uma coisa engraçada) não encontrou a loja quando passou aqui em frente, não a reconheceu”. Os clientes da loja também não ficam indiferentes e fazem questão de o dizer “tem uma montra Sr. Alberto! A loja parece maior e tudo! Parece que respira!”.

Para Marta Nestor, promotora da Porto Paralelo, a “adaptação e proximidade ao lojista são os fatores de sucesso deste projeto. Adaptação na medida em que os estudantes tiveram de recorrer à compra de material apenas e se fosse imperativo, utilizando produto e material da própria loja. Proximidade porque é um projecto desenhado em conjunto com o lojista e onde este tem poder de decisão desde o conceito aos produtos que obrigatoriamente devem fazer parte da vitrina”, afirma.

Para além deste projeto de vitrinismo, existem estudantes a trabalhar projectos de webdesign,merchandising e editorial, com vista ao impulsionamento da atividade do Porto Paralelo para proteção e revitalização das lojas emblemáticas da cidade do Porto.