Livro da U.Porto revisita dois séculos de cultura científica em Portugal

Livro descreve o estado da cultura científica portuguesa desde o aparecimento da ciência moderna até à atualidade.

No século XVIII, algumas elites começaram a pugnar pelo estabelecimento pleno da ciência em Portugal num movimento que se prolongou até hoje. É a partir desse ponto seminal que Luís Miguel Bernardo, professor catedrático aposentado do Departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) começa a desvendar a “Cultura Científica em Portugal – Uma Perspectiva Histórica”, título da mais recente obra editada pela Universidade do Porto.

Recorrendo a uma perspetiva histórica, em contexto inter­nacional, Luís Miguel Bernardo descreve neste livro as atitudes dos portugueses perante a ciência, revelando que esta é um meio importante de transformação social e um alicerce indispensável da nossa civilização. Pelo caminho, pretende-se ajudar o leitor a perceber o estado da cultura científica portuguesa desde o aparecimento da ciência moderna até aos nossos dias.

O livro “Cultura Científica em Portugal – Uma Perspectiva Histórica” será apresentado esta terça-feira, dia 8 de outubro, às 18h30, na Casa Andresen / Jardim Botânico do Porto. A apresentação será feita pelo físico Carlos Fiolhais, professor do Departamento de Física da Universidade Coimbra e um dos mais conhecidos divulgadores de ciência em Portugal.

A entrada é livre.

Sobre o autor

Luís Miguel Bernardo é professor catedrático aposentado do Depar­tamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e diretor do Museu de Ciência desta Universidade. Nos últimos anos dedicou-se à história da ciência e à divulgação científica. Publicou, também com a editora da Universidade do Porto (U.Porto Editorial), a trilogia “Histórias da Luz e das Cores”.